Brasil

Estudo mostra como Covid ataca diabéticos

Estudo mostra como Covid ataca diabéticos
O maior índice de glicose serve como energia extra para multiplicação do vírus. Crédito da foto: Cesar Von Bancels / AFP

Um grupo de pesquisadores brasileiros desvendou uma das causas da maior gravidade da Covid-19 em pacientes diabéticos. Como mostraram os experimentos feitos em laboratório, o teor mais alto de glicose no sangue é captado por um tipo de célula de defesa conhecido como monócito e serve como uma fonte de energia extra, que permite ao novo coronavírus se replicar mais do que em um organismo saudável.

Em resposta à crescente carga viral, os monócitos passam a liberar uma grande quantidade de citocinas (proteínas com ação inflamatória), que causam uma série de efeitos, como a morte de células pulmonares.

O estudo, apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), é liderado por Pedro Moraes-Vieira, professor do Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (IB-Unicamp), e por pesquisadores que integram a força-tarefa contra a Covid-19 da universidade, coordenada por Marcelo Mori, também professor do IB-Unicamp e co-autor do trabalho.

Leia mais  Doria enviará proposta para antecipar feriado de 9 de julho para 25 de maio

O artigo encontra-se em revisão na Cell Metabolism, mas já está disponível em versão preprint, ainda não revisada por pares.

“O trabalho mostra uma relação causal entre níveis aumentados de glicose com o que tem sido visto na clínica: maior gravidade da Covid-19 em pacientes com diabetes”, diz Moraes-Vieira, pesquisador do Experimental Medicine Research Cluster (EMRC) e do Centro de Pesquisa em Obesidade e Comorbidades (OCRC), um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) apoiado pela Fapesp, com sede na Unicamp. (Agência Fapesp)

Comentários