Brasil

Bolsonaro parabeniza EUA por dia da Independência e elogia discurso de Trump

Mais cedo, Bolsonaro participou de um almoço na residência do embaixador dos EUA no Brasil
Bolsonaro parabeniza EUA por dia da Independência e elogia discurso de Trump
Bolsonaro participa de almoço em comemoração ao 244º Aniversário da Independência dos EUA. Crédito da foto: Clauber Cleber Caetano / PR (4/7/2020)

O presidente Jair Bolsonaro parabenizou, na tarde deste sábado (4), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o povo americano pelo aniversário de independência do país. “Gostaria de parabenizar o Presidente @realDonaldTrump e o povo dos EUA pelo 244º aniversário de sua Independência. Como líderes das duas maiores democracias ocidentais, trabalhamos para avançar os ideais de liberdade, democracia e dignidade humana que esta data representa”, postou em sua conta no Twitter.

Mais cedo, Bolsonaro havia participado de um almoço na residência do embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman. O objetivo do encontro foi comemorar a data.

Bolsonaro aproveitou ainda para cumprimentar Trump “pelo belíssimo e corajoso discurso do dia de ontem”. “Palavras de um grande estadistas. Que o legado e os valores dos fundadores dessa grande nação permaneçam sólidos e jamais sejam apagados por radicais.” As postagens foram feitas em português e inglês.

Na véspera do 4 de julho, dia da Independência dos EUA, Trump fez um discurso durante evento no Monte Rushmore, na Dakota do Sul. Ele fez um apelo direto aos eleitores que estão descontentes, acusando os manifestantes que participaram do movimento racial no último mês de se envolverem em uma “campanha impiedosa para acabar com a nossa história”.

Leia mais  Liberação de recursos para SC ainda depende de levantamentos dos estragos

 

O presidente norte-americano comentou ainda o fato de alguns manifestantes terem atingido monumentos e estátuas em todo o país, com a justificativa de que eram homenagens aos que se beneficiaram com a escravidão. Segundo Trump, os manifestantes estavam tentando apagar a história dos EUA. “Não se enganem, esta revolução cultural de esquerda foi projetada para derrubar a revolução americana”, disse. (Estadão Conteúdo)

Comentários