Brasil Covid-19

Anvisa aprova vacina Janssen e veta Covaxin

Anvisa aprova vacina Janssen e veta Covaxin
Em dose única, a vacina foi aprovada em diversos países. Crédito da foto: Kamil Krzaczynski / AFP

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou por unanimidade o uso emergencial no Brasil da vacina da Janssen contra a Covid-19. Trata-se do único no mercado que garante a proteção em uma só dose, o que pode acelerar a imunização. O governo federal fechou contrato para comprar o produto, mas não há previsão de entrega neste semestre. Na mesma reunião, a agência negou a solicitação do Ministério da Saúde de autorização excepcional e temporária para importar e distribuir a vacina indiana Covaxin.

O contrato do governo federal com a Janssen é para adquirir 38 milhões de doses, que só vão chegar a partir de julho, com previsão de entrega final até dezembro. A vacina da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, registrou eficácia global de 66%, e se mostrou eficaz em 85% para casos graves. Trata-se do quarto imunizante aprovado para uso no Brasil — os outros são da Pfizer e Oxford/AstraZeneca, ambos com registro definitivo, e Coronavac, parceria da chinesa Sinovac com o Instituto Butantan, para utilização emergencial. Até agora, no entanto, as duas vacinas americanas não chegaram ao Brasil.

Para Renato Kfouri, diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações, o produto da Janssen tem boa eficácia, mas ressalva que não foi tão bem em estudos na África do Sul, provavelmente por causa da variante do coronavírus que estava circulando por lá. O especialista ainda lamentou a demora do País na compra. “Demoramos para fechar o acordo de uma vacina que estava sendo estudada aqui. Poderíamos ter tido prioridade na compra, neste momento crítico da pandemia”, frisou. (Estadão Conteúdo)

Comentários