Brasil

Agressor de Bolsonaro é transferido para presídio federal em MS

A Polícia Federal decidiu usar a Lei de Segurança Nacional para indiciar Adelio
Suspeito (sem camisa) de ter esfaqueado o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, é detido
Crédito da foto: Guilherme Leite/Folhapress)

Adelio Bispo de Oliveira, 40, responsável por ter esfaqueado o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), está sendo transferido de Minas Gerais para Mato Grosso do Sul. De Campo Grande, ele será levado para um presídio federal de segurança máxima, de acordo com a “GloboNews”. Ainda segundo o canal, essa decisão foi tomada durante a audiência de custódia nesta sexta (7) pela juíza federal Patrícia Alencar Teixeira. A audiência foi acompanhada pelo Ministério Público Federal (MPF).

A Polícia Federal decidiu usar a Lei de Segurança Nacional para indiciar Adelio Bispo de Oliveira pelo ataque, sob acusação de infringir o artigo 20. O artigo prevê inicialmente pena de três a dez anos de reclusão, porém ela é aumentada para de seis a 20 anos caso o crime envolva “lesão corporal grave”. Preso pela Polícia Militar, Oliveira afirmou que a ação aconteceu por motivos pessoais e que agrediu o presidenciável a mando de Deus.

Segundo depoimento feito na delegacia, Oliveira afirmou que saiu de casa armado com uma faca, já com a ideia de utilizá-la contra o deputado.
Ele foi filiado ao PSOL de Uberaba (MG) de 2007 a 2014. Também visitou a mesma escola de tiros frequentada pelos filhos de Bolsonaro.

Leia mais  Covid-19: governo confirma insumos para mais 12 milhões de doses

Casado com uma sobrinha do autor do ataque a Jair Bolsonaro, o pedreiro Eraldo Fábio Rodrigues de Oliveira, de 45 anos, diz que Adelio tinha comportamento estranho e, quando visitava Montes Claros, sua cidade de origem, costumava se trancar num dos barracões da família, no bairro Maracanã, de classe baixa.

Comentários