UNISO CIÊNCIA
Publicidade (passe o mouse para ouvir)


Uniso realiza evento que debate formação acadêmica e profissional




A Universidade de Sorocaba (Uniso) promoverá seu 20º Encontro de Pesquisadores e Iniciação Científica (EPIC), 15º Encontro de Extensão (ENEX) e 5º Encontro do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (E_PIBID), de 7 a 9 de novembro, na Cidade Universitária e no Câmpus Trujillo.

Evento tradicional realizado todos os anos, voltado a estudantes, professores, pesquisadores e público em geral, o objetivo é a difusão dos avanços da ciência e da extensão universitária e um fórum de debates sobre temas envolvendo a comunidade. Esta edição tem como tema “Diálogos do Ensino, Pesquisa e Extensão na Formação Acadêmica e Profissional”.

Na programação, cerca de 180 projetos da Uniso e de outras instituições da Região desenvolvidos nas áreas de Ensino, Pesquisa e Extensão, como trabalhos de Iniciação Científica e de Extensão, dissertações de Mestrado e Trabalho de Conclusão de Curso, estarão em exposição.

Como exemplo dos trabalhos do EPIC, o aluno Cauê Pontes Briganti apresentará o resultado da pesquisa realizada sobre a prevalência de sintomas depressivos em pessoas com Diabetes Mellitus, como bolsista do Programa de Iniciação Científica da Uniso.

No Encontro de Extensão, a aluna de Educação Física, Flora Mello, fará a exposição do projeto sobre inteligência corporal desenvolvido com professores da rede municipal de Sorocaba. Ela é bolsista do Programa de Extensão da Uniso.

No Encontro do PIBID, serão apresentados projetos promovidos por alunos das Licenciaturas nas escolas públicas estaduais de Sorocaba com os estudantes e professores. As alunas Maria Alice Matsuo Tijon e Mariana de Mattos Mangullo, de Letras/ Português Inglês, por exemplo, mostrarão uma manifestação social realizada na escola Prof. Altamir Gonçalves, com a produção de cartazes e vídeos em inglês, como proposta de ensino-aprendizado da língua inglesa.

Programação – O evento também terá uma cerimônia de abertura com apresentação do Grupo de Dança Contemporânea da Unicamp e palestra sobre o tema central com a professora doutora Kátia de Angelis, da Unifesp. O encerramento terá o Prêmio Destaque de Iniciação Científica e lançamento de livro pela Editora Uniso - Eduniso. As inscrições com certificado estão encerradas, porém as atividades estão abertas a todos os interessados.

Informações e programação completa, acesse a página do Evento: EPIC 2017.

Publicações do projeto Uniso Ciência:

Apresentação - Uniso Ciência divulga temas do universo da pesquisa

Obesidade pode também estar associada ao uso de antibióticos

Uniso lança processo seletivo para Pós-Graduação

Estudo avalia ensino de Ciências e pesquisadora cria caixa com propostas de atividades





Estudo avalia ensino de Ciências e pesquisadora cria caixa com propostas de atividades




Uma das certezas que os anos de docência em Ciências deram à bióloga Aurea do Nascimento Alves é que o ensino dessa área do conhecimento seria muito melhor se os alunos pudessem interagir com atividades práticas que explicassem ou demonstrassem conceitos científicos que nem sempre são fáceis de aprender, principalmente no atual modelo de ensino-aprendizagem praticado pela maioria das escolas brasileiras. Foi para avaliar essas diferentes possibilidades no ensino de Ciências nas várias etapas do Ensino Fundamental, que Aurea pesquisou o assunto durante seu mestrado, dentro do Programa de Pós-Graduação em Processos Tecnológicos e Ambientais da Universidade de Sorocaba (Uniso). Com orientação da professora doutora Renata de Lima, a dissertação "Avaliação de Experimentos Práticos para o Ensino de Ciências no Ensino Fundamental e Montagem de Caixa de Proposta de Atividades" foi defendida por Aurea e aprovada no dia 17 de março deste ano. Na fase da pesquisa bibliográfica, a pesquisadora selecionou diversos experimentos que pudessem ser executados pelos professores em sala de aula. Ela testou cada um deles. Além disso, desenhou e construiu uma caixa de experimentos que pudesse abrigar os materiais necessários para tais experimentos.

Para o 2º ano do Ensino Fundamental, por exemplo, a pesquisa propõe 30 experimentos de fácil aplicação. Para o 3º ano, foram selecionados 18 experimentos. No 4º ano, foram sugeridas mais dez atividades e, finalizando, outros cinco experimentos para compor a caixa de práticas do 5º ano. Um desses experimentos apresentados na dissertação, por exemplo, é o "Boneco de Alpiste". Montado com uma meia fina, serragem, sementes de alpiste, cola, tesoura e enfeites, o boneco é feito com uma meia, cheia de serragem, e com sementes de alpiste plantadas na parte superior. Com adição de água na serragem já plantada e com o tempo, o alpiste germina, a folhagem cresce e, com isso, o boneco vai ficando mais cabeludo. Experimento muito conhecido pelos professores.

CAIXA DE EXPERIMENTOS
Outro resultado da pesquisa desenvolvida pela professora de Biologia em seu mestrado em Processos Tecnológicos e Ambientais foi a elaboração e montagem de uma caixa de experimentos, que tem como objetivo auxiliar o professor na realização de atividades práticas em sala de aula. Os desenhos de como montar a caixa, bem como quais materiais são necessários para tal, podem ser consultados na dissertação.

Com 75 centímetros de altura, 45 de largura e 35 de profundidade, a caixa abriga itens que variam de acordo com o nível de ensino. São, por exemplo, 69 itens na caixa a ser usada no 2º ano do Ensino Fundamental, 59 para o 3º ano e 47 itens que podem ser utilizados nas experiências do 4º e 5º ano do Fundamental. Dentre os itens, estão massa de modelar, vinagre, folhas de revista, giz de cera, canudinhos que dobram, areia fina, terra preta, e uma infinidade de produtos que, segundo Aurea, podem ser comprados em supermercado, papelaria ou, no máximo, em uma farmácia.

Resumidamente, ela diz que "a caixa foi composta por experimentos que pudessem utilizar materiais de fácil acesso" e alguns poucos instrumentos específicos e produtos típicos de laboratórios de Química. "Cada caixa com proposta de práticas vem acompanhada de um suplemento pedagógico contendo um guia para a realização dos experimentos disponíveis neste material, além de conter sugestões de experimentos que podem ser utilizadas para aprofundar o conteúdo", explica a pesquisadora.

Após a escolha, montagem e testes dos experimentos e atividades lúdicas, Aurea também organizou um manual, contendo todas as orientações necessárias para a realização dos experimentos escolhidos e sua forma de aplicação nas aulas práticas de Ciências.

TESTE NA PRÁTICA
Para verificar a aceitação das crianças, os experimentos foram montados no Laboratório de Ciências do Colégio Dom Aguirre e no Laboratório de Biotecnologia da Uniso, bem como apresentados em oficinas práticas na feira de Ciências da Universidade de Sorocaba ¿ Ciência para Miúdos.

Em sua dissertação, Aurea discute se apenas o uso do livro didático em sala de aula atenderia suficientemente o processo de ensino-aprendizagem, diante das diversas metodologias que podem ser desenvolvidas, facilitando a aquisição dos conceitos científicos. Outra questão abordada é se o professor está preparado para apresentar e esclarecer sobre os experimentos científicos em sala de aula.

Aurea lembra que "o estímulo ao ensino de Ciências para crianças nas séries iniciais já é uma política nacional na França, através do projeto "La Main à la Pâte"." E que, no Brasil, experiências semelhantes acontecem nas cidades de São Paulo, São Carlos e Rio de Janeiro, por meio do projeto ABC na Educação Científica - Mão na Massa.

"No Brasil, a realização de atividades práticas nas aulas de Ciências representa um grande desafio para muitos professores que tentam diversificar a sua prática pedagógica, seja pela falta de um local específico ou pela dificuldade em preparar os materiais necessários", diz.

Com base na dissertação "Avaliação de Experimentos Práticos para o Ensino de Ciências no Ensino Fundamental e Montagem de Caixa de Proposta de Atividades", do Mestrado em Processos Tecnológicos e Ambientais da Universidade de Sorocaba (Uniso), feita sob orientação da professora doutora Renata de Lima e aprovada no dia 17 de março de 2017. Acesse a pesquisa completa: https://goo.gl/Aea9bm

Uniso lança processo seletivo para Pós-Graduação




O Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas – Mestrado e Doutorado, da Universidade de Sorocaba (Uniso), lançará seu processo seletivo em evento nesta quarta-feira (25/10), na Cidade Universitária (Rod. Raposo Tavares, km 92.5).
 
O objetivo é apresentar o Edital para ingresso em 2018, orientando os interessados sobre bolsas de estudo, descontos oferecidos aos ex-alunos, formas de avaliação, elaboração de projetos, submissão em agências de fomento, as pesquisas em andamento e o funcionamento dos cursos.
 
O Programa tem área de concentração em Medicamentos e Saúde, com as linhas de pesquisa "Avaliação de Substâncias Bioativas e Sistemas de Liberação de Fármacos" e "Uso Racional de Medicamentos". O processo seletivo já está aberto com inscrições até 21 de janeiro. A avaliação contempla apresentação e arguição do currículo e do projeto de pesquisa.
 
O evento será realizado às 19h, no Auditório do Bloco C. A entrada é gratuita e aberta a todos os interessados, especialmente a graduados e alunos concluintes dos cursos de Farmácia, Biomedicina, Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Enfermagem, Medicina, Odontologia, Medicina Veterinária, Nutrição, Engenharia Química, Engenharia de Materiais, Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia e Engenharia de Alimentos.
 
Informações sobre o Programa, no link  http://farmacia.uniso.br ou pelos telefones: (15) 2101-7104 ou 2101-7008.