SOROCABA E REGIÃO

Números de roubos e furtos têm aumento em 2017


O índice de roubos em Sorocaba aumentou 7,1% de janeiro a novembro de 2017 se comparado com mesmo período do ano anterior. Conforme as informações da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP), foram 3.365 casos no período em 2016 e 3.606 no ano passado, ou seja, 241 casos a mais, ou quase 11 por dia. A Polícia Militar trabalha com o parâmetro trimestral para a análise, e, por isso, afirma que há queda nos índices.

Os dados da Secretaria de Segurança Pública ainda mostram que as ocorrências de furtos contra residências e comércios na cidade também aumentaram. De janeiro até novembro de 2016 houve 6.866 casos. No mesmo período de 2017 foram 7.117 ocorrências, aumento de 3,5%. Para se ter ideia, são registrados 21 casos desse crime por dia na cidade.

Em contrapartida, os casos de homicídio, por exemplo, tiveram redução, assim como os de tentativa de homicídio e lesão corporal. De acordo com as informações, foram 59 homicídios consumados até novembro de 2017, contra 60 registrados em 2016. Os casos de tentativa de homicídio caíram de 54 de janeiro até novembro de 2016 para 46 no mesmo período de 2017. Os dados também apontam redução para as ocorrências de roubo de veículo, furto de veículos e roubo de carga. Os casos de lesão corporal dolosa -- com intenção -- também apresentaram recuo. Foram 1.685 casos nos 11 meses de referência em 2016, contra 1.661 de 2017.

Vale destacar que os dados usados pela reportagem não contemplam os últimos casos registros de mortes em dezembro em Sorocaba, incluindo mulheres como vítimas, e nem o assassinato ocorrido no bairro Santo André 2, na zona norte.

Com relação ao estupro de vulnerável, não é possível fazer a comparação dos dados dos 11 meses de 2017 com o mesmo período de 2016, já que o crime passou a ser divulgado de forma separada de estupros envolvendo outras faixas etárias apenas a partir de setembro do ano passado. De janeiro até novembro de 2016 foram registrados 112 casos, contra 46 de 2017. Se comparada a soma de setembro, outubro e novembro de 2017 com o mesmo período de 2016, houve redução, de 32 casos para 29 em 2017.

Apesar de ainda preocupante, o trânsito em Sorocaba foi menos violento em 2017 com relação a 2016. Ao menos nessa linha de comparação referente ao período de janeiro a novembro. Foram 47 homicídios culposos -- quando não há a intenção de matar -- registrados no período em 2016 ante 36 de 2017. Nos casos de lesão corporal culposa por acidente de trânsito, as ocorrências caíram de 915 no período em 2016 para 912 no ano passado.

Combate a crimes


A Secretaria de Segurança Pública expôs números e ressalta que a ação conjunta das polícias em combate a crimes contra a vida e contra o patrimônio resultaram na prisão de 4.135 pessoas na cidade, além da apreensão de 178 armas de fogo e 1.034 veículos recuperados. Sem detalhar sobre Sorocaba, a SSP afirma que desde 2011, a região do Deinter 7 recebeu 1.238 policiais entre civis, militares e técnico-científicos além de 942 viaturas para as forças policiais. "Sobre os casos de homicídio, os índices de esclarecimento são superiores a 70%. A Polícia Civil credita a diminuição às constantes operações e investigações de combate ao tráfico de entorpecentes, que é o pano de fundo de grande número dos casos de homicídios", afirma através de nota.

Outro olhar

A Polícia Militar trabalha com a estatística por trimestre, por isso, enxerga redução nos índices de roubo e furto, por exemplo. Conforme a PM, os dados, nesses casos, seguem a tendência de queda de todo o Estado. Para a afirmação, são levados em consideração os picos para as duas modalidade de crime registrados em março em Sorocaba, com queda gradativa até novembro.

Aos resultados positivos, o porta-voz do Comando de Policiamento do Interior (CPI/7), capitão André Luiz Menezes, atribui ao envolvimento dos policiais, trabalho investigativo, mobilidade do policiamento, além das ações integradas com outros órgãos da segurança pública, como a Polícia Civil, Polícia Ambiental e Polícia Rodoviária. Outro aspecto é o envolvimento da população, como no programa Vizinhança Solidária. "Estamos, trimestre a trimestre, batendo os índices" de 2016, "especialmente com os casos roubos", diz. Menezes afirma ainda que o número deve baixar ainda mais, já que a parcial de dezembro mostra queda nos principais índices.



comments powered by Disqus