ESPORTES

Zagueiro Douglas Assis chega para reforçar o São Bento em 2018


Com um intervalo de dois anos, o namoro entre o zagueiro Douglas Assis e o São Bento finalmente terminou em casamento: o atleta de 32 anos foi contratado pelo Azulão no início da semana e nesta terça-feira (5) iniciou os treinos com os companheiros, no campo da Facens. Ele esteve próximo de defender a equipe de Paulo Roberto Santos em 2015, quando estava no Macaé e chegou a assinar um pré-contrato com o São Bento, mas acabou se arrependendo e o negócio foi dissolvido.
 
Destaque no Boa Esporte, onde disputou 37 jogos e fez quatro gols, Douglas Assis se garante na zaga mas também deixa suas marcas na área adversária. Característica parecida com a de outro defensor beneditino: João Paulo, vice-artilheiro do Azulão na Série C, com três tentos. "No Boa Esporte brincavam muito comigo para que eu fosse jogar como atacante. Sempre que vou para frente, procuro ajudar. Este ano deu certo: foram quatro gols e algumas bolas na trave", relembra.
 
Ele demonstra grande expectativa para a temporada. "Sempre tive o desejo de disputar um Paulistão, de enfrentar Corinthians, São Paulo, Palmeiras e grandes times. O trabalho está bem forte pois teremos jogos difíceis pela frente. No Paulistão não há time bobo e nesses 12 jogos temos de atuar bem desde o início", pontua o defensor, que ainda tem no currículo Cabofriense e Vila Nova.
 
Triste memória
 
Na negociação de 2015, Douglas Assis não estava vindo sozinho para o São Bento: ele teria a companhia de Filipe Machado, seu companheiro de zaga no Macaé. Os dois atletas assinaram o mesmo pré-contrato com o time de Sorocaba, depois desfeito em favor da renovação com a equipe fluminense. Dali cada um seguiu o seu caminho -- até o dia 28 de novembro de 2016, quando o amigo morreu no acidente aéreo com a delegação da Chapecoense em Medellín, na Colômbia.
 
Falar do tema ainda é dolorido para Douglas Assis, que se emociona. "Foi um grande amigo que eu fiz, de um coração e um caráter espetacular. Amava sua família, sua esposa e sua filha. É alguém por quem eu tinha um carinho enorme e deixou muita saudade", relembra. Ele afirma ter chegado a se culpar pelo destino do companheiro quando o desastre aconteceu. "Será que seria diferente se tivéssemos vindo juntos para cá? Mas são coisas que passaram e que ninguém tem culpa, a não ser a ganância do homem, a raiz de todos os males do mundo", finaliza.
 



comments powered by Disqus