Blog do Simões

Um Shakespeare entre jovens


NA VITRINE

Um Shakespeare entre jovens


Noite quente e uma lua linda em Sorocaba. Desliguei o computador e fui assitir a adaptação de Sonho de uma Noite de Verão de Shakespeare com os jovens alunos de teatro da Oficina Caixa Preta.
 
Este é um dos textos de Shakespeare que considero leitura obrigatória para jovens e adolescentes.  Assim como Romeu e Julieta. É uma pena que muitas escolas sequer ofereçam aos alunos algum contato com a literatura dramática ao longo da sua formação. Parece que o texto teatral foi banido da formação escolarizada. Enfim...voltarei a este assunto noutro post.
 
Para quem não conhece o texto de Shakespeare farei um um breve resumo. Sonho de uma Noite de Verão é uma comédia com três tramas distintas.
 
Na primeira trama a jovem Hernia  (que ama Lisandro) se vê obrigada a se casar com Demétrio ( a quem ela não ama).   Hernia e Lisandro decidem, então,  fugir  da cidade ( pela Floresta) para viverem o  amor. Helena,  amiga de Hérnia, ao saber fuga resolve contar para o Demétrio (por quem é apaixondada) e com isso tentar ganhar o seu coração. Que tal? Um bela confusão. 
 
A segunda trama se passa  no mundo mágico da floresta com fadas e duendes. O casal Titania (Rainha das Fadas)  e Oberon (rei dos Elfos) brigam. Oberon irritado com Titania manda Puck ( o elfo) colher uma flor que produz uma poção do amor. Pede ao elfo que pingue a poção nos olhos de Titânia enquanto ela dorme. Deseja como castigo que ela apaixone pelo primeiro animal que avistar.  Ao mesmo tempo Oberon observou na floresta o modo como Demetrio destratou Helena (quando ela foi contar que Hernia iria fugir com Lisandro). Oberon não gostou do viu e, então, determina que Puck tambem coloque as gotas da poção do amor nos olhos de Demétrio e cuide para que a primeira pessoa que ele enxergue ao acordar seja Helena.
 
Na terceira trama temos a companhia de teatro  que ensaia  uma peça ( na floresta) para ser apresentada no casamento de Teseu, o duque de Atenas, com Hipólita, a rainha das Amazonas. Teatro dentro do teatro.
 
Num dado momento as tres tramas se misturam. Puck pinga as gotinhas mágicas em Titânia que ao abrir os olhos vê um dos atores e se apaixona por ele ( e não por uma animal como queria Oberon). Do mesmo modo Demétrio ( enfeitiçado por Puck) se apaixona por Helena. Um quiprocó atrás do outro. Não vou contar mais.  Vale a leitura


Eis um trecho:


"Há quem diga que todas as noites são de sonhos.
Mas há também quem garanta que nem todas, só as de verão. No fundo, isto não tem muita importância.
O que interessa mesmo não é a noite em si, são os sonhos. Sonhos que o homem sonha sempre, em todos os lugares, em todas as épocas do ano, dormindo ou acordado."
 
Toda vez que escrevo acerca de um espetáculo sempre aponto que um dos aspectos importantes é a voz dos interpretes. Técnica vocal. É preciso saber emitir, articular e projetar a voz no espaço cênico. Nesse espetáculo não foi diferente. Nalguns momentos não se compreendia o texto. Os jovens atores necessitam trabalhar mais e mais a voz nas aulas. Não se trata de gritar. A emoção tem muito pouco a ver com voz gritada no teatro.
 
O espetáculo como um todo flui e a plateia dá boas gargalhadas. Portanto,  funciona.
 
Algumas questões outras poderiam ser consideradas no sentido de ampliar a recepção  da cena.
 
A iluminação e os figurinos não estavam adequados. A proposta de iluminação, por exemplo, poderia ter explorado variações de intensidade que pudessem colaborar na construção dos espaços na cena. Do mesmo modo a  escolha das cores e do tecido não estavam em sintonia com a iluminação proposta. Interferiram na qualidade visual dos figurinos.
 
A direção e a adaptação do texto foram assinadas por Beth Pinn . Trata-se de uma atriz vigorosa e potente.  Apaixonada pelo o fazer teatral. Todavia não se viu esta potencia na direção. Faltaram nuances no desenvolvimento e encadeamento das cenas. Por exemplo se repetiam as marcações na cena ou, então, a movimentação nas entradas e saídas dos atores  que eram praticamente as mesmas. O que se viu foi uma encenação contida. Se por um lado, a direção foi monocordica, por outro lado, teve como mérito saber aproveitar as características dos atores para os papéis que desempenharam. Assim como manter o ritmo do espetáculo com elenco numeroso e inexperiente.
 
Cabe ainda destacar que no caso desse espetáculo (resultado de processo formativo), para além de todas estas questões, temos o momento da  estréia dos jovens atores no palco. Vivenciar a experiência plena do teatro - a cena diante do publico. Pois, ensaio é ensaio, apresentação é apresentação. Adrenalina. Era possivel sentir esta adrenalina tanto no palco como na platéia.
 
Os jovens atores encararam bem o texto e o jogo de cena. No começo se notava a tensão no elenco. A voz baixa. O texto recitado. Mas à medida que o espetáculo foi avançando eles ganharam confiança. Como, por exemplo, quando por alguns segundos o texto sumiu (deu branco). Sem problema, resolveram. Seguraram o texto e a cenas diante de uma platéia lotada que permaneceu o tempo todo atenta e envolvida na trama. Isso é um ponto muito relevante. Não é fácil.
 
Nesse conjunto de atores destaco o jovem ator Renan Rinaldi que conseguiu aproveitar as várias possibilidades presentes na cena para jogar com a plateia. 
 

Espero que o grupo avance na formação e cada vez mais mergulhem em bons textos da dramaturgia universal e brasileira.



Adaptação e direção de Sonho de uma Noite de Verão é de Beth Pinn; Iluminação: Michel Farah; Produção: Randolph Souza e Fotos: Bruna Cris.
 
No elenco temos: Teseu – Matheus Oliveira; Hipólita – Maysa Nogueira; Egeu – Lucas Cubas; Helena – Larissa Guimarães; Hérmia – Duda Vieira; Demétrio – Alan Rocha; Lisandro - Eder Oliveira;Filóstrato- Kevin Willian;Oberon – Matheus Barreto; Puck – Pablo Corrales; Titânia - Gaby Duarte; Fundilhos - Matheus Galvão; Tisbe - Renan Rinaldi;Leão - Vinícius Martines; Muro - Julih Maximoff; Luar – Vinicius Sousa; Fadas: Teia de Aranha - Maria Eduarda Gomes; Libélulinha - Giovana Mikaeli; Flor de ervilha:  Gabrielle Nascimento   



comments powered by Disqus