ARTIGOS

Compra nada sensata


A reunião entre amigos ou familiares, à qual você está presente, se desenvolve em clima tranquilo e amigável. De repente, por um detalhe à toa, a troca de opiniões entre dois deles se converte numa ácida discussão. Ambos se exaltam e elevam a voz, ameaçando afugentar a cordialidade que até ali reinava. A determinada altura, um deles, para reforçar seus argumentos, se dirige a você, pedindo que externe sua opinião e diga quem tem razão.
 
Faça de conta que não ouviu. Desconverse, ignore o chamamento e não se permita, de maneira nenhuma, tornar-se parte da desavença. Você somente contribuiria para azedar o clima. Acabaria por emitir um julgamento sobre alguma coisa em relação à qual não está suficientemente informado. Estremeceria seus laços com um número indeterminado de pessoas e tudo isso por nada.
 
Na maioria desses casos, os que hoje se enfrentam voltam às boas rapidamente. Mas se um deles sentir-se ferido por suas palavras durante a altercação, o inscreverá, a partir de então, entre seus inimigos.
 
Um dos brigões é um amigo muito próximo e o adversário alguém que nunca viu antes? Não importa. Evite comprar a briga. Pode ser que o antagonista do seu amigo seja uma pessoa bem mais próxima dele do que você supõe. E ainda que isso não ocorra, sua neutralidade face à disputa não é deslealdade, e sim justificável prudência.
 
Em situações assim, é melhor encarar o passageiro desconforto com o amigo, do que adquirir uma inimizade duradoura com um terceiro. Até porque, se o amigo merecer mesmo essa classificação, assim que a tempestade serenar entenderá que sua atitude foi a mais aconselhável.
 
"Agarra um cão pelas orelhas quem se mete em briga alheia."
 
Provérbios 26:17 A Bíblia de Jerusalém
 
 
 



comments powered by Disqus