SOROCABA E REGIÃO

Divórcios em Sorocaba apresentam queda de 13% segundo o IBGE


 
 
Os casais sorocabanos estão se separando menos. É o que mostra o levantamento de Registro Civil 2016, divulgado nesta semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com as estatísticas do IBGE, o número de divórcios teve queda de 13,16% na cidade no período de um ano. Em 2016, um total de 2.828 divórcios foram registrados contra 2.499 em 2015, o que significa menos 329 separações.
 
De acordo com dados do Registro Civil do IBGE, de 2009 até 2015 o total de divórcios em Sorocaba vinha aumentando de ano a ano. O maior aumento foi registrado entre 2009 e 2010, quando o número de registros mais que dobrou, passando de 600 para 1.330 casais, o que representou um aumento de 121,66%. No ano seguinte (2011) o total de divórcios também subiu bastante em relação ao ano anterior (2010) e chegou a 2.401. Em 2012 houve uma pequena queda, com 2.290 e nova tendência de elevação a partir de 2013 (2.489) até 2015 (2.828).
 
Casamentos se mantêm
 
Já o número de casamentos registrados na cidade praticamente se manteve no período de um ano. Segundo dados do IBGE, o total de uniões registradas na cidade em 2016 foi de 5.653 contra 5.604 em 2015, o que representa 49 a mais no período.
 
Em relação a anos anteriores, houve uma redução no ritmo de aumento de novas uniões. Em 2015, o número de casamentos (5.604) cresceu 2,26% no comparativo ao ano anterior (5.480), com 124 casamentos a mais. Desde 2009, quando o levantamento começou a ser realizado, o aumento no número de uniões vinha crescendo progressivamente, passando de 4.341 para 4.307 (2010), 4.815 (2011), 5.146 (2012), 5.303 (2013), 5.480 (2014).
 
A assessoria de imprensa do IBGE não divulgou os números por faixa etária e no momento da consulta dos dados pelo sistema de pesquisa do órgão os resultados estavam indisponíveis.
 
Nova união
 
Joana Andrade Pires, 40 anos, está casada há 12 anos depois que pediu o divórcio para o primeiro marido e afirma que recomenda o casamento. Ela conta que se casou pela primeira vez aos 24 anos e que o matrimônio durou apenas três anos. "Eu tinha um bom relacionamento com o meu primeiro marido, mas acredito que o casamento acabou porque faltou paixão", diz. Ela se casou pela segunda vez aos 28 anos e afirma que é uma incentivadora do matrimônio. "O casamento é bom pela companhia do outro e principalmente quando você chega em casa do trabalho cansada e quer ter alguém para conversar e trocar as experiências do dia a dia", analisa. Para ela, o importante é a pessoa ao perceber que a relação não está boa partir para o divórcio e tentar novamente. "É muito bom se casar, mas se não der certo, separa e arruma outro", diz. Joana não teve filhos do primeiro casamento e com o segundo marido possui duas meninas, que são gêmeas.
 



comments powered by Disqus