SOROCABA E REGIÃO

Discussão sobre arte e religião domina sessão da Câmara


Apesar do alto número de projetos na pauta dos vereadores, a maior parte das matérias nem sequer chegou a ser votada na sessão ordinária desta terça-feira (14) na Câmara de Sorocaba. As discussões do dia foram voltadas ao embate entre vereadores acerca de uma moção de aplauso ao deputado federal Flávio Augusto Silva (PSB-SP) por ter entrado com representação na Procuradoria Geral da República contra um artista por suposta ofensa à fé cristã. A representação se deu contra o artista visual Antônio Obá pela performance em que ele aparece nu ralando uma imagem de Nossa Senhora Aparecida até reduzi-la a pó. Em Sorocaba, a manifestação a favor do deputado partiu do vereador Anselmo Neto (PSDB) e acabou aprovada por 13 votos a três.

A maioria dos vereadores defendeu a moção, a exemplo do autor, que falou sobre o tema em plenário e cobrou respeito às religiões. Um deles foi Luis Santos (Pros), que classificou a performance como "lixo cultural". Parlamentares de esquerda, por outro lado, defenderam a manifestação da arte. Foram os casos de Iara Bernardi (PT), que disse não considerar a atuação ofensiva, e Renan Santos (PC do B), que também disse não enxergar insulto por a exibição não ter ocorrido dentro de um templo religioso. "A arte é sempre perseguida em nome da moral", declarou. Além dos dois, a vereadora Fernanda Garcia (Psol) votou contra a moção.

No pouco tempo restante na sessão (a moção de aplauso ficou em discussão por mais de uma hora, estourando o limite de prorrogações), os vereadores aprovaram em segunda discussão o projeto de lei de Péricles Régis (PMDB) que autoriza farmácias e drogarias a oferecer serviços e procedimentos que são da competência do farmacêutico, como acompanhamento e conciliação de medicamentos, que são regulamentados pelo Conselho Federal de Farmácia. Pela proposta, os estabelecimentos que queiram ofertar os serviços devem ser dotados de salas com tamanho mínimo de quatro metros quadrados. Por falta de tempo, outras nove matérias da pauta não foram discutidas.



OCULTAR COMENTÁRIOS
comments powered by Disqus