ARTIGOS

Sempre sisudo é você

Quando pensamos em Deus, a imagem que nos vem à mente mostra-o como alguém mais propenso à carranca que ao sorriso, à sisudez e não à alegria -- o que está longe de fazer justiça ao Senhor.
A partir de tal suposição errônea, nos portamos, em relação a nós mesmos e aos nossos irmãos em humanidade, mais com severidade do que com acolhimento, inclinados antes a julgar e condenar que a compreender e perdoar.
Quem tende a viver sempre sisudo somos nós. O Altíssimo, inversamente, acompanha nossas cogitações, palavras e condutas com benevolência. Rejeita-as, se for o caso, mas as aprova e abençoa, quando em sintonia com a sua vontade. A alegria e o sorriso têm nele a sua fonte. Seu desejo é que dela bebamos, nos desalteremos e saibamos transmitir a propensão ao sorrir e a alegrar-se aos que nos rodeiam.
Haverá um caso ou outro que seu testemunho de fé precisará ser feito de maneira esbravejante. Isso deve ser exceção e não regra. Aqueles que melhor sintonizaram seu coração com o do Onipotente, revelaram-no aos seus irmãos em termos marcados pela esperança, amor e leveza de coração.
Saibamos entender a infinita ternura e solicitude de Deus e tentemos fazer com que o conhecimento de tais atributos chegue àqueles com quem nos relacionamos com a vibrante alegria de um invólucro de presente, jamais com a áspera apresentação da sentença condenatória.
Se o tempo é de sorrir, não fique a choramingar. Se o momento é de bailar, aproveite a contradança.
"Há um momento para tudo e um tempo para todo propósito do céu. (...) Tempo de chorar e tempo de rir; tempo de gemer e tempo de bailar."
Eclesiastes 3: 1(...) 3-4) A Bíblia de Jerusalém
Geraldo Bonadio é jornalista - geraldo.bonadio@gmail.com


OCULTAR COMENTÁRIOS
comments powered by Disqus