BRASIL

Promotoria investigará viagens de João Doria

O Ministério Público de São Paulo abriu um procedimento preparatório de inquérito para investigar as viagens do prefeito de São Paulo João Doria (PSDB). O objeto, segundo documento da Procuradoria, é a "apuração de suposta irregularidade" praticada por Doria, que "teria viajado no dia 14 de agosto de 2017 para a cidade de Palmas/TO com o status de candidato à Presidência da República". A abertura ocorreu após uma movimentação movida pelo PT, que questionou a viagem de Doria.

Segundo os petistas, o prefeito de São Paulo teria sido recebido com faixas espalhadas com os dizeres "Tocantins quer Doria Presidente" e teria mantido sua agenda de presidenciável até o dia 16 de agosto de 2017, em Natal, no Rio Grande do Norte.

A legenda ressaltou que "ao analisar a agenda do prefeito nos últimos três meses, verifica-se que a maioria das viagens foram realizadas no horário de seu expediente, com participação em reuniões políticas na presença de parlamentares do Congresso Nacional e da direção de seu partido político".

O PT afirma que Doria usa as viagens pelo Brasil e exterior como promoção pessoal e que elas podem ter consumido recursos públicos, "especialmente em virtude do uso de estruturas da prefeitura, deslocamento ao aeroporto, agendamento de reuniões, e ainda funcionários e servidores estariam sendo pagos pelo erário no acompanhamento dessa empreitada, rumo às eleições de 2018".

Outro lado

Em nota, a Prefeitura de São Paulo disse que "responderá em breve os questionamentos do Ministério Público para comprovar a total legalidade nas ações". "Ressalta-se que as viagens são custeadas pelo próprio prefeito", diz o texto da prefeitura. Nesta quinta (14), em viagem a Buenos Aires, capital da Argentina, o tucano defendeu sua viagem e disse que seu governo tenta buscar um ritmo "menos provinciano". Na viagem, Doria encontrou-se com o presidente do país, Mauricio Macri, entre outros compromissos. (Folhapress)



comments powered by Disqus