ECONOMIA

Apple apresenta três novos modelos de iPhone


A Apple apresentou nesta terça-feira três novos modelos de iPhone, entre eles o altamente esperado iPhone "X", para comemorar o 10º aniversário da sua linha de smartphones e que pode ser desbloqueado com reconhecimento facial, além de outras funções exclusivas.

O modelo, mais rápido e potente que os outros tipos de iPhone, "definirá o caminho para a tecnologia na próxima década" e é "o maior avanço desde o iPhone original", lançado em 2007, disse o presidente do grupo, Tim Cook, durante uma apresentação em sua nova sede de Cupertino, ao sul de San Francisco.

O iPhone "X" traz um novo formato: não tem o famoso botão redondo da "Home", embaixo da tela, que agora ocupa toda a parte da frente do telefone. Como já esperavam os analistas, este dispositivo conta com uma tela OLED, que oferece uma imagem com mais nitidez e contraste que a de LCD.

A outra novidade é que este telefone será desbloqueado por reconhecimento facial. Está "bloqueado até que você olhe para ele e ele te reconheça", indicou Phil Schiller, um dos executivos do grupo no palco do Teatro Steve Jobs. Este sistema de reconhecimento pelas feições do rosto "é o futuro" do desbloqueio do iPhone, acrescentou.

O identificador de rosto ("Face ID") utiliza sensores e uma câmera fotográfica que permite reconhecer os traços em três dimensões.

Os usuários poderão comprar o iPhone "X" por 999 dólares, mas terão que esperar até 27 de outubro para fazer os pedidos, e as entregas começarão em 3 de novembro, detalharam os executivos do gigante tecnológico.

Nas últimas semana houve rumores persistentes de uma disponibilidade tardia do modelo, devido a um atraso de fabricação na Ásia.


Três iPhones


O iPhone "X" é "realmente uma maravilha de engenharia, sobretudo comparado ao 7 e ao 8. E não é uma simples cópia dos modelos concorrentes", reagiu o analista Patrick Moorhead em nota, afirmando que com um preço inicial de 999 dólares "haverá longas filas" para comprá-lo. No mercado de valores a ação da Apple variou pouco, caindo 0,45%, para 160,73 dólares, até às 19H40 GMT (16H40 em Brasília).

Desde seu lançamento, em 2007, o iPhone revolucionou o setor e vendeu mais de 1,2 bilhão de unidades. A Apple voltou a vender mais de 40 milhões de iPhones entre abril e junho, mas as vendas mostram sinais de estagnação.

Como era esperado, a Apple também apresentou outros dois novos modelos, o iPhone 8 e o iPhone 8 Plus, disponíveis a partir de 22 de setembro por 699 e 799 dólares, respectivamente.

Estes aparelhos incluem a realidade aumentada, que permite inserir personagens de videogames ou objetos no mundo real, e que é vista como uma função importante para o futuro dos celulares.

Os três modelos que foram apresentados nesta terça-feira podem ser recarregados sem fios, uma característica já presente em aparelhos da sul-coreana Samsung, principal concorrente da Apple.

A Apple também apresentou um novo modelo da AppleTV, capaz de transmitir programas em 4K (ultra alta definição), e a versão 3 do seu relógio inteligente Apple Watch, que pode se conectar diretamente aos sinais móveis sem passar pelo iPhone.

A apresentação começou por volta das 17H00 GMT (14H00 em Brasília) com uma homenagem ao cofundador da empresa, Steve Jobs, que morreu de câncer em 2011.

"Steve era um gênio", disse o presidente da Apple, Tim Cook, com lágrimas nos olhos no Teatro Steve Jobs, inaugurado oficialmente para esta ocasião.

A Apple e a Samsung dominam o mundo dos smartphones, com cerca de 12% e 23% do mercado, respectivamente. (AFP)



OCULTAR COMENTÁRIOS
comments powered by Disqus