SOROCABA E REGIÃO

Prefeitura tem que ressarcir Estado de salário de Segamarchi

Até a próxima sexta-feira (21), a Prefeitura de Sorocaba terá de ressarcir, aos cofres do governo do Estado de São Paulo, o salário pago ao servidor Alceu Segamarchi Junior, funcionário de carreira da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) -- que desde o dia 6 de junho está afastado para prestar serviços ao município. A informação foi confirmada, na tarde de ontem, em nota assinada pela Coordenadoria de Imprensa da Subsecretaria de Comunicação do Governo do Estado de São Paulo.

De acordo com informações do Portal da Transparência do governo estadual, em maio Alceu recebeu líquidos R$ 14.266,34. A situação é bem diferente da exposta pelo prefeito José Crespo em maio último. Ao anunciar que Segamarchi passaria a coordenar a Promotoria Econômica, com o objetivo de buscar recursos extraorçamentários ao município, Crespo foi enfático ao afirmar que o funcionário estava sendo cedido graciosamente pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB): "Ele (Alceu Segamarchi Junior) não vai nos custar um centavo."

Na nota divulgada ontem pelo governo do Estado, a necessidade de ressarcimento é dada como certa. "(...) reiteramos o já dito: a prefeitura deve ressarcir o Estado. Segamarchi foi afastado em ofício datado de 6 de junho de 2017. O ressarcimento de salários e encargos, que continuam sendo pagos pela CPTM, deve ser feito até o dia 21 de julho. Caso isso não ocorra, o Estado poderá acionar a Prefeitura ou exigir a reintegração do funcionário aos seus quadros."

A CPTM já havia informado que Segamarchi "está cedido à Prefeitura de Sorocaba, mediante ressarcimento à Companhia", mas sem entrar em detalhes sobre datas.

Procurada ontem para comentar o posicionamento do governo estadual, a Secretaria de Comunicação e Eventos (Secom) da Prefeitura não respondeu as perguntas formuladas pelo Cruzeiro do Sul, que foram: "A Prefeitura já está devidamente preparada para a realização desse ressarcimento essa semana? Qual o valor do ressarcimento? Qual a explicação, do prefeito José Crespo, para o fato de ele ter anunciado, há menos de dois meses, que Alceu Segamarchi Junior não custaria um centavo aos cofres da Prefeitura -- situação muito diferente da realidade?"

Em sua resposta ao jornal, a Secom desconversou: "O profissional Alceu Segamarchi foi nomeado nesta segunda-feira (17), ao cargo de chefe de Gabinete do Poder Executivo mediante cessão autorizada pelo Governo do Estado de São Paulo, sem prejuízo de vencimento e sem receber gratificação de função da Prefeitura de Sorocaba."

No 6º andar


No final da tarde de
ontem, ao anunciar o rompimento com a vice Jaqueline Coutinho, Crespo chegou a citar que o novo assessor ocupará a sala deixada por ela, no 6º andar. Além de atuar na CPTM, Segamarchi já ocupou cargos no Ministério das Cidades. Dentre suas funções à frente da chamada Promotoria Econômica de Sorocaba, está a de acompanhar o trabalho da assessora especial Fernanda Mariano, nomeada para ocupar um cargo em Brasília. Porém, como a função que ele deverá desempenhar não existe no organograma da Prefeitura, oficialmente seu cargo é de chefe de gabinete do Poder Executivo -- que estava vago, desde o governo anterior, quando o salário pago para a função foi de R$ 16.999,98.


OCULTAR COMENTÁRIOS
comments powered by Disqus