ESPORTES

Grêmio vira contra a Ponte Preta e diminui diferença para o líder

O Grêmio voltou a vencer em casa no Campeonato Brasileiro. Neste domingo (16), o time gaúcho sofreu diante de uma Ponte Preta retrancada e até saiu atrás, mas Lucas Barrios marcou duas vezes e decidiu o confronto válido pela 14ª rodada.

O Grêmio vinha de duas derrotas em seu estádio na competição. Corinthians e Avaí foram os algozes da equipe de Renato Gaúcho, que, agora, encurtou a distância para a liderança do Brasileiro.

No início da rodada, a diferença entre Grêmio e Corinthians era de 10 pontos. Com o empate do Corinthians diante do Atlético-PR, neste sábado, no Itaquerão, agora oito pontos separam líder e segundo colocado.

A vitória também encerrou um trauma do Grêmio com pênaltis e em seu estádio. Exatamente nas duas derrotas anteriores, o time tricolor desperdiçou cobranças diante Corinthians e Avaí, com Luan e Edílson, respectivamente.

O Grêmio sofreu no primeiro tempo por conta da postura da Ponte Preta e de seus próprios erros. Sem profundidade, o time tricolor girou na frente da área e foi para o intervalo com apenas duas finalizações no gol. Nem o apoio dos laterais ajudou o time gaúcho a ter superioridade no terço final. Para piorar, ainda viu os vice-campeões paulistas saírem na frente com um gol contra de Rafael Thyere, aos 35min.

O segundo tempo foi diferente. Mais efetivo, o Grêmio andou sobre a linha tênue da velocidade e afobação. Conseguiu o empate após boa jogada de Pedro Rocha e conclusão de Barrios.

A virada veio aos 26min, em cobrança de pênalti de Barrios. O resultado obrigou a Ponte Preta a sair e tornou o duelo perfeito para a proposta do time de Renato Gaúcho. Com espaços, Luan cresceu e iniciou bonita jogada que terminou com Everton e o terceiro gol.

Com o tropeço, a Ponte Preta segue em má fáse no Brasileiro. A equipe de Campinas só ganhou um ponto nas últimas cinco rodadas e ocupa a 16ª colocação, com 15 pontos, já sofrendo com o risco de entrar na zona de rebaixamento. (Folhapress)


OCULTAR COMENTÁRIOS
comments powered by Disqus