SOROCABA E REGIÃO

Ônibus da Consor voltam a rodar nesta terça-feira em Sorocaba


Os ônibus da empresa Consor começaram a sair da garagem por volda das 8h45 desta terça-feira (11), após ficarem sem rodar desde a madrugada, afetando principalmente a zona norte da cidade. A liberação dos ônibus aconteceu após reunião entre a empresa, o Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região e a Polícia Militar.

Segundo o sindicato, os ônibus partem agora para os pontos finais para cumprir as linhas, que voltarão a ser atendidas conforme a liminar do Tribunal Regional do Trabalho, que determina a circulação de 70% da frota nos horários de pico e 50% nos demais horários. Os ônibus da empresa Sorocaba Transportes Urbanos (STU) rodam nesse esquema desde a madrugada.

Por conta da paralisação das linhas da Consor, usuários do transporte coletivo protestaram dentro do terminal Santo Antônio, nesta manhã, por volta das 8h. O grupo chegou a interditar a passagem dos ônibus, mas a manifestação foi encerrada com a presença da Polícia Militar.

A greve dos motoristas de Sorocaba entra hoje no 14º dia. Segundo o sindicato, a paralisação pode perdurar por mais de um mês, até o julgamento do dissídio coletivo da categoria pela Justiça do Trabalho, o que está previsto para acontecer no dia 9 de agosto.

Espera

Na zona norte de Sorocaba, os passageiros ficaram mais de quatro horas em pontos esperando pelos ônibus nesta manhã. Foi o caso do auxiliar de limpeza Reinaldo Prestes de Camargo, 37 anos, que disse ter chegado por volta das 4h no Terminal de Transferência da avenida Itavuvu. Ele afirma que ficou no local até as 8h30 e como nenhum ônibus passava ele decidiu ir embora.

"O terminal aqui ficou lotado de gente esperando pelos ônibus e nada. Cansei de esperar e fui embora para a casa. Dai vi que os ônibus voltaram a circular e voltei aqui no ponto para tentar chegar ao Terminal Santo Antônio", conta.

A aposentada Ana Maria Almeida, 68 anos, também ficou mais de uma hora em um ponto na avenida Itavuvu e também não conseguiu pegar ônibus no início da manhã. "A greve é uma vergonha. Essa semana tenho consulta médica no Campolim e não sei se vou conseguir pegar ônibus. O prefeito não faz nada para acabar com isso e estamos nessa situação. Está complicado", reclama.

Perto das 10h os ônibus da Consor começaram a chegar na região da zona norte.

Confusão na garagem

O vereador França (PT), vice-presidente do sindicato, disse que os ônibus foram impedidos de sair da garagem da Consor, por volta das 5h, por causa de uma tabela de escala apresentada pela empresa, que segundo a categoria, estava fora dos parâmetros da liminar do TRT. "A tabela que a Consor apresentou para os trabalhadores não tinha como ser cumprida e após uma reunião entre as partes, a escala foi ajustada para atender o que o Tribunal determinou", disse França.

A Urbes, porém, divulgou nota nesta manhã acusando o sindicato de paralisar totalmente as linhas operadas pela esta empresa.A emprea pública disse que a paralisação ocorreu após a Consor e a STU interferirem para que a programação das tabelas das linhas de ônibus fosse cumprida pelos motoristas, sem a interferência da entidade.

O Consor, por meio de nota, disse que a Urbes e as empresas de ônibus entenderam que a forma como o sindicato estava fazendo a liberação da frota não atendia de forma adequada a programação definida pela gerenciadora do sistema. "Várias linhas deixavam de ser atendidas, prejudicando diretamente os usuários.

Assim, numa reunião ocorrida na segunda-feira, Urbes, Consor e STU deliberaram que o controle sobre a liberação da frota ficaria a cargo das empresas com o objetivo de garantir o equilíbrio na distribuição dos ônibus em todas as linhas e, por consequência, um melhor atendimento ao usuário. Ao ser comunicado, o sindicato impediu que os motoristas ingressassem na garagem do Consor para iniciar o trabalho.

A partir daí estabeleceu-se um impasse que perdurou até por volta das 9h, quando os ônibus começaram sair para cumprir seus itinerários, conforme a escala definida pela Urbes."

A Urbes disse na tarde de ontem que deu entrada com mais uma petição no TRT para comunicar sobre o descumprimento da liminar por parte do sindicato, e pedir pela aplicação de todas as sanções, além da decretação da ilegalidade da greve.

Linhas afetadas

As 50 linhas da Consor que não estavam circulando são: 02-Brasilândia, 03-Nova Esperança, 05- Vila Carvalho/VilaFiori; 08-Trujillo, 14-Santa Rosália; 16- Angélica/Botucatu; 19-Progresso, 20-Carol, 21-Lopes de Oliveira; 23-Industrial/Maria do Carmo, 24-Guadalupe, 25-Itavuvu, 26-Ipanema/Bom Jesus, 28-Mineirão, 31-Cajuru, 311-Circular Nilton Torres, 36-Porcel, 38-Aparecidinha via Éden, 39-Aldeia dos Laranjais, 391-Santa Esmeralda, 42-Laranjais, 45-Retiro São João, 46-Paineiras, 50-Hungarês, 53-Éden, 54-Paes de Linhares, 55-Rodrigo, 56-Iguatemi, 57-Guaíba, 58-Vitória Régia, 581-Sorocaba Park/Santa Marina, 582-Jardim Imperatriz/Alpes de Sorocaba, 59-Maria Eugênia, 61-Iporanga, 62-São Bento, 621-São Bento2/Altos do Ipanema, 64-Paço Municipal, 643-Paço/General Osório, 644-Paço/Maria Eugênia, 68-Sol Nascente, 69-Caguaçú, 691-Carandá, 70-Novo Horizonte/Nova Sorocaba, 72-Bairro dos Carvalhos, 75-Campininha, 76-São Guilherme, 79-Policlínica, 81-Carandá, 100-Expresso e 307-Interbairros VII.


OCULTAR COMENTÁRIOS
comments powered by Disqus