SOROCABA E REGIÃO

Crianças falam sobre viver fora do país


Já pensou em sair um dia do Brasil e ir morar bem longe, em um outro país? Você iria ver muitas coisas novas e, dependendo do lugar, teria de aprender o idioma. No começo, poderia ter algumas dificuldades com as palavras, mas logo se acostumaria. É assim que acontece com quem é de fora que vem morar aqui e com pessoas daqui que vão morar fora. Existe um período de adaptação, de aprendizado, e que também é muito divertido! O Cruzeirinho de hoje mostra crianças sorocabanas que estão morando em diversos países. Uma delas ficou encantada de ver a neve, outra falou sobre os museus, tem ainda quem ame ir a parques. É claro que todos sentem saudade de Sorocaba, principalmente dos avós, dos primos e dos amigos, mas sempre que possível as famílias programam as visitas. Quer saber um pouco mais sobre como tem sido a vida desses meninos e meninas? Então confira:


Tom e Stella estão gostando muito de morar na Inglaterra, mas têm saudade de Sorocaba

Os irmãos Tom Mitchell de Campos, 10 anos, e Stella, 8 anos, estão morando há um ano e meio em Peterborough, uma cidade da Inglaterra. A mãe deles é nascida lá e o pai é brasileiro. Eles foram morar lá porque a família planejou morar um pouco no Brasil e depois na Inglaterra.


Tom afirma que gosta da cidade porque é um lugar muito bonito, cheio de vegetação, e ele pode pegar a bicicleta e andar tranquilo pelas ruas. "Posso ir para a escola de bicicleta, sozinho. Também vou comprar revistas de anime e gibis de super-herói. Posso ir a qualquer lugar com a minha bicicleta", disse.
No local onde a família mora tem muitos parques e Tom costuma ir nesses lugares com seus amigos para escalar árvores, correr nos campos e brincar muito. Uma coisa diferente que começou a fazer é jogar hóquei. "Gosto muito."
Já Stella adora as casas e os jardins. "Aqui é muito bonito", comentou. Entre os passeios que já fez pela Inglaterra, ela foi conhecer Londres e ficou encantada com a arte de rua e os museus. "Eu amo isso. Nos museus tem muitas atividades, tem dinossauro e segurei répteis", conta.
Na escola, Stella começou a fazer parte de um time de ginástica olímpica. Questionada se sente saudade do Brasil, ela disse que sim, principalmente da família e das amigas do colégio onde estudava, entre elas a Carol.
Sobre a experiência de aprender um novo idioma, ela disse que não foi difícil e que teve ajuda das pessoas. Quando saiu do Brasil, Stella ainda estava aprendendo as letras e palavras, então acabou sendo alfabetizada em inglês. O curioso é que em tão pouco tempo ela está falando muito bem o idioma e já está com sotaque.
Seu irmão, o Tom, comenta que desde que nasceram a mãe sempre falou somente em inglês com eles, mas eles nunca tinham falado nessa língua com ela. Já o pai só conversa em português com eles, até agora. É para que os filhos mantenham em mente os dois idiomas.
Para Tom, aprender o novo idioma foi um pouco mais difícil. O que facilitou foi esse hábito de sua mãe. "Como ela sempre conversou em inglês, em apenas uma semana que eu estava aqui algo no meu cérebro ligou e lembrei de tudo o que minha mãe falava comigo. Já entendo o idioma, mas de vez em quando ainda tento traduzir na mente o que a professora está falando", comenta.
Sobre Sorocaba, Tom também disse que sente falta da família e dos amigos, especialmente os do Uirapuru. "Eu fazia basquete e toda terça e quinta minha avó ia me buscar para ficar na casa dela. Ela fazia batata frita e tinha piquenique noturno, porque meu avô levava coisas pra gente à noite e dormíamos lá", lembra.
Na Inglaterra, um lugar que Tom ama é Londres. "É um lugar incrível, adoro as construções, a cultura e a batata frita com peixe daqui, que é uma delícia".



Conhecendo pessoas e lugares diferentes

Os gêmeos João Calado Moura e Pedro, de 11 anos, também estão vivendo uma nova experiência fora de Sorocaba. Eles estão morando em Montevidéu, a capital do Uruguai, há quatro meses.
Um lugar que João considera incrível é o Parque Rodó, que tem perto de sua casa. Sobre a adaptação na nova escola, ele disse que está meio difícil, já que é outro idioma. "Mas estou conseguindo. Leio bem e entendo. Só para falar é que ainda tenho dificuldade", comenta. Do Brasil, João disse que só sente falta de poder falar com as pessoas sem ter de prestar atenção.
Seu irmão, o Pedro, gosta de passear pelas ramblas. "São caminhos longos e dá pra ver muitas coisas. Sinto falta das pessoas que estão no Brasil, mas não sinto muita falta do lugar onde morava", comenta.
Sobre a escola, Pedro não está achando muito difícil. "No começo, era mais. Agora tem coisas que entendo e outras não. Estou aprendendo o idioma aos poucos e achando bem legal morar num país diferente, conhecer novas pessoas e novos lugares."
Outra criança que está morando fora é o Gabriel Dorelli Prado Silva, de 5 anos. Ele foi para o Chile há quase um ano e meio. O que Gabriel mais adorou lá é a neve. Ele conta que está gostando da escola e das professoras. "Gosto de estudar, cantar, fazer educação física e do recreio."
O idioma do Chile é o espanhol e Gabriel disse que não é complicado aprender. "Já falo bem, mas tem de treinar", conta. Ele afirma que sente saudade dos amigos do colégio onde estudava, da vovó, do vovô e das primas. Sobre as brincadeiras, ele gosta de playstation, participar de oficinas e jogar futebol.
Já a Alice Segamarchi Sanches, de 4 anos, está morando no Canadá há dois anos. Ela disse que está gostando muito de lá. Para ela, falar inglês é fácil. "Gosto também da escola e de brincar com a Rachel." Alice diz que costuma ir no parque e no playground. A única falta que sente do Brasil e de Sorocaba é de ver a vovó.


OCULTAR COMENTÁRIOS
comments powered by Disqus