ARTIGOS

Preserve a ternura

Geraldo Bonadio

Você, às vezes, se sente vivendo em um mundo excessivamente áspero.
Razões para tanto não lhe faltam. São muitos aqueles que, à sua volta, tratam as pessoas que contatam com rudeza, excluindo qualquer manifestação de cordialidade.
Jamais sorriem. A quem lhes deseja bom dia respondem de forma seca e mecânica. Só a contragosto estendem a mão num cumprimento a que, invariavelmente, falta calor e espontaneidade.
Sempre carrancudas, se comprazem em serem desagradáveis, sarcásticas, ferinas ou escancaradamente maldosas em tudo o que dizem ou fazem.
Pagá-las na mesma moeda é uma grande bobagem. Seguidor de Jesus, saiba temperar suas palavras e atitudes com bondade, compreensão, misericórdia e sincero interesse pelo bem dos que o circundam.
Deseje o melhor a todos com quem convive, diária ou esporadicamente, nos múltiplos cenários de sua vida. Seja atencioso com o próximo mais próximo -- seu cônjuge, seus filhos, os colegas de trabalho ou de escola -- e mostre-se acolhedor, afável e desarmado em relação a todos.
Ainda que muitos ao seu redor destilem ódio, continue a difundir a paz, a criar compreensão, a aproximar os que se afastaram, a encorajar a pacificação entre inimigos.
Tente, na medida de suas possibilidades, ecoar a infinita ternura do Pai e multiplicará seus motivos para, a despeito das tensões do dia a dia, viver na alegria e cultivar a felicidade.
"(...) a esperança volta quando penso no seguinte: o amor do Senhor Deus não se acaba e a sua bondade não tem fim. Esse amor e essa bondade são novos todas as manhãs; e como é grande a fidelidade do Senhor!"
Lamentações 3:21-23 Nova Tradução na Linguagem de Hoje
Geraldo Bonadio é jornalista, advogado e escritor - geraldo.bonadio@gmail.com


OCULTAR COMENTÁRIOS
comments powered by Disqus