SOROCABA E REGIÃO

Votorantim compra área para ampliar o cemitério da cidade


Próximo de atingir a capacidade máxima de sepultamentos no Cemitério Municipal São João Batista, a Prefeitura de Votorantim adquiriu um terreno por R$ 577.382,05 a fim de ampliar o espaço para novos jazigos. A área, que pertencia à Ofebas, fica entre um espaço já ocupado por túmulos. De acordo com o município, a conta será paga em dez vezes e a "implantação está sendo feita com mão de obra própria, de servidores municipais". Na manhã de ontem, porém, a reportagem do Cruzeiro do Sul esteve no local e não havia funcionários trabalhando no terreno, a não ser um homem que recepcionava quem chegava ao cemitério para pedir informações.

Atualmente, o cemitério tem capacidade para comportar 6.380 jazigos e em dezembro do ano passado, ainda durante a gestão de Erinaldo Alves (PSDB), a administração municipal havia informado que o limite seria atingido ainda no primeiro semestre deste ano. Conforme informou a Prefeitura de Votorantim, ainda há espaços vazios e com a aquisição do novo terreno o cemitério terá mais um ano e meio de vida útil, totalizando 6.650 sepulturas. A previsão é de que a ampliação esteja concluída até o mês que vem.

Ampliações

O São João Batista já passou por diversas ampliações ao longo de sua história, com obras nos anos de 1982, 1988 e 1990. O primeiro sepultamento registrado no livro de tombo do cemitério foi em 1949. Antes disso, no entanto, o local já havia recebido alguns sepultamentos. Na época, Votorantim ainda não tinha passado pelo processo de emancipação e a área pertencia a Sorocaba. O cemitério era descampado até 1967 quando passou por uma remodelação e ganhou muros.

Novo cemitério

Em 1998, a Prefeitura já manifestava interesse em construir um novo cemitério municipal, mas a área não havia sido definida. Questionada sobre essa possibilidade, a atual administração, chefiada pelo prefeito Fernando Oliveira (DEM), informou que tem a intenção de construir um segundo cemitério, o qual está sendo objeto de estudos técnicos e financeiros. Não há data definida para que o projeto seja implantado.

A construção de um cemitério depende de licenças ambientais que devem ser expedidas por órgãos estaduais e municipais do meio ambiente, como a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). As diversas regras a serem cumpridas em sua construção estão definidas por resolução de 2003 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). (Colaborou Priscila Fernandes)


OCULTAR COMENTÁRIOS
comments powered by Disqus