SOROCABA E REGIÃO

São Roque vacinará contra febre amarela na área rural


Por conta da confirmação da morte de um macaco por febre amarela silvestre, numa reserva florestal da mata atlântica, em ponto próximo da Estrada do Hirofumi Mikami, em São Roque, o município receberá dez mil doses da vacina contra a doença. As doses serão aplicadas entre amanhã e domingo nos moradores e frequentadores de residências situadas no bairro do Caetê e em parte do bairro do Carmo, distantes, em linha reta, de oito a dez quilômetros da área central. Dez postos móveis para aplicação de doses serão instalados em pontos estratégicos dessa região da cidade. A vacinação será das 8h às 17h, e o serviço também será divulgado por meio de carro de som, por ruas das redondezas.

Será uma ação conjunta entre os Centros de Vigilância Epidemiológica (CVE) do Estado, de Sorocaba e do próprio município para garantir a imunização da população residente e flutuante de parte da cidade. A Secretaria Estadual da Saúde (SES) orienta que não é necessário pânico, e explica que as doses estão destinadas aos moradores e frequentadores das proximidades da antiga "estrada do Xingu", área rural do município, na região de Canguera. Nenhum caso da doença foi confirmado entre pessoas da cidade.

Bairros do Caetê e do Carmo

De acordo com a nota emitida pela SES, a morte do macaco por febre amarela foi confirmada na última semana, e desde então profissionais estaduais e municipais estão atuando num raio de 30 quilômetros a partir da reserva onde o animal morreu, em diversas frentes de vigilância, como busca de vetores e pesquisa em mata. "Embora São Roque, até o momento, não faça parte da relação de cidades com recomendação da vacina definida pelo Ministério da Saúde, a vacinação é fundamental para garantir a proteção da população que está nesta área rural", afirmou a diretora de imunização da Secretaria Estadual da Saúde, Helena Sato.

A assessoria de imprensa da Prefeitura de São Roque também reforçou que não é preciso haver pânico pela população local, e que somente os moradores e os que frequentam aquela região, devem se vacinar. Outra recomendação é para que ninguém abata os macacos, pois os mesmos são fontes para identificação da febre amarela, além do que nenhum outro da espécie foi encontrado doente ou morto. Também de acordo com a Prefeitura, quem já tomou a vacina e está dentro do período de autonomia, que é de dez anos, não deve se vacinar novamente.

A vacina contra a febre amarela é indicada apenas aos moradores de regiões silvestres, rurais, de mata e ribeirinhas e para aqueles que vão viajar a esses locais ou os que estão classificados como regiões de risco.

A imunização não está indicada para gestantes, mulheres amamentando crianças com até seis meses e pessoas imunodeprimidas, como pacientes em tratamento quimioterápico, radioterápico ou com corticoides em doses elevadas (portadores de Lúpus, por exemplo). Em caso de dúvida, é importante consultar o médico.



comments powered by Disqus