ESPORTES

TJD suspende time no Veterano e jogador na Baltazar Fernandes


Dois julgamentos nos campeonatos varzeanos de Sorocaba tiveram suas decisões anunciadas. O Esporte Clube São Cristóvão está eliminado do Campeonato Veterano da 1ª Divisão, uma vez que teve o atleta Flávio Pereira Faroni acusado de agredir o árbitro Everton Araújo, em partida do clube contra o América, no último dia 11 de junho. Além disso, pela Taça Baltazar Fernandes, o jogador Everton Vidal Gonçalves, da Associação Sport Sorocaba, foi punido pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) de Sorocaba com dois anos de suspensão, sob a acusação de ter praticado injúria racial contra o trio de arbitragem da partida entre sua equipe e o Vila Carvalho, no dia 5 de julho.

No Veterano, além da eliminação, o São Cristóvão será rebaixado à segunda divisão do torneio e banido das competições municipais por um ano (a contar a partir da data de hoje). O TJD considerou que o atleta julgado agrediu o árbitro, que relatou o caso na súmula e interrompeu a partida. A confusão teria acontecido quando o juiz expulsou Flávio e um jogador da equipe rival. Conforme relatado ao tribunal, ele teria sofrido um tapa, um puxão de camisa e um chute do acusado.

Em depoimento ao TJD, Flávio negou o ato, mas não teve os argumentos acatados. Ele está suspenso das competições do município por dois anos. Com a eliminação do São Cristóvão, todas as partidas do clube no campeonato terão o placar de 3 a 0 em favor do adversário contabilizados, o que deve alterar a classificação final do Grupo A do Veterano. A Secretaria de Esportes e Lazer (Semes) deve divulgar na próxima semana (depois de outro julgamento pendente) a definição da chave e, consequentemente, os classificados às quartas de final.

Já o caso de injúria racial não resulta em punição ao clube, que permanece vivo na disputa da Baltazar Fernandes. Everton Gonçalves, porém, fica suspenso das competições do município por dois anos. Segundo o relato do árbitro Evanildo Natalino André, ele teria se referido ao trio de arbitragem como "bando de preto safado", "macacos" e "vagabundos". Na ocasião, Everton foi expulso do banco de reservas e, segundo o relato do árbitro, pediu desculpas após o término da partida. A acusação foi acatada pelo TJD, mas ainda é passível de recurso. A tendência, porém, é de que mesmo que a decisão seja contestada, o atleta consiga, no máximo, uma redução de sua pena.

Na semana que vem, outros dois três casos pendentes na várzea de Sorocaba vão a julgamento no TJD, sendo mais um deles referente a injúria racial. As decisões irão determinar classificações tanto no Veterano da 1ª Divisão quanto na Taça Baltazar Fernandes.


OCULTAR COMENTÁRIOS
comments powered by Disqus