SOROCABA E REGIÃO

Fogos são banidos para bem-estar dos animais


 
Fernando Guimarães
fernando.guimaraes@jcruzeiro.com.br


 
A Prefeitura informou ontem que há pelo menos três anos não realiza mais queima de fogos na Festa Junina de Sorocaba. Na edição de ontem do jornal Cruzeiro do Sul foi publicada equivocadamente a informação de que haveria queima de fogos. De acordo com o diretor de Área de Educação Ambiental da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Sema), Welber Senteio Smith, a Secretaria da Cultura e a Sema tomaram essa decisão levando em conta, principalmente, o bem-estar dos animais, já que fogos causam uma série de perturbações.


 
Smith explica que a queima de fogos possui algumas características problemáticas para o meio ambiente. "Milhares de partículas de dióxido de carbono (CO2) são espalhadas pelo ar e, assim, aumentam as emissões para a atmosfera. O foguete libera estrôncio, uma perigosa substância tóxica, e sua queda pode provocar incêndios. Há forte poluição sonora (120 decibéis - limiar da dor). Os fogos assustam as aves e outros animais que mudam o comportamento, alterando a rotina e, muitas vezes, provocando a migração e acidentes. Estes impactos podem alterar de forma significativa o meio ambiente", relata.


 
O uso indiscriminado de fogos de artifício afasta das cidades os pássaros, como coleirinha, bico-de-lacre, andorinha, sanhaço, sabiá-laranjeira, bem-te-vi, pintassilgo, tico-tico, corruíra, joão-de-barro, que se alimentam de todo tipo de inseto danoso ao ser humano, inclusive, o mosquito da dengue. "O constante barulho das explosões e dos tiros faz com que os pássaros se afastem da região, abrindo espaço para os insetos. O uso consciente dos fogos de artifício poderia contribuir para preservar este tipo característico de fauna presente nas cidades", diz.
 


OCULTAR COMENTÁRIOS
comments powered by Disqus