CULTURA

Livre para voar

Controle e planejamento são elementos pouco comuns em uma carreira na televisão. E Marco Pigossi sabe disso. Por isso mesmo, o intérprete do bom moço Rafael de Boogie Oogie atribui ao acaso a chance de trabalhar com diversificadas equipes dentro do veículo.

Após passar pelo núcleo de Dennis Carvalho, Jorge Fernando e Wolf Maia, o ator chegou às mãos de Ricardo Waddington através do texto de Rui Vilhena. "Isso é muito bom. Gosto de conhecer métodos diferentes. É um grande aprendizado. Além disso, você vai fazendo amizades, trabalhando e conhecendo", afirma.

Em sua sétima novela e ocupando pela segunda vez o posto de protagonista de um folhetim, Pigossi demonstra sua empolgação pela forma de trabalho construtiva das tramas. "O interessante é você assistir e ir moldando o personagem ao longo da história. Há a chance de assistir, corrigir e mudar conforme o público espera. Ou seja, tudo pode acontecer", vibra.

O último capítulo de Boogie Oogie tem previsão de ir ao ar no dia 6 de março. Depois do fim do folhetim, o ator pretende voltar ao teatro após uma sucessão de novelas. "Sinto uma saudade enorme. Nos palcos é onde a gente se reinventa", ressalta.


OCULTAR COMENTÁRIOS
comments powered by Disqus