CULTURA

Sessão de cinema dos sonhos para mães



Maíra Fernandes
maira.fernandes@jcruzeiro.com.br


Atividades simples, como ir ao cinema, não são assim tão simples para mães de recém-nascidos. Não bastasse a logística de sair de casa com um bebê de poucos dias, há, ainda, fatores que também pesam na escolha desses mães e pais, como ambiente normalmente escuro, frio e com som alto para ouvidos sensíveis. Sem contar que também o cinema é povoado, em sua maioria, por pessoas que não esperam enfrentar reações incontroláveis de um bebê, como um choro incessante.

Pensando nessa situação, um grupo de mães começou a pensar possibilidades de adaptar essas salas para que também pudessem frequentá-las. Menos ar-condicionado, mais iluminação, tolerância e, principalmente, trocadores e espaços para esses bebês brincarem foram incluídas nesse projeto, que existe e se chama CineMaterna.

Essa "sessão dos sonhos para mães", idealizada pela administradora e mãe Irene Nagashima, acontece em mais de 30 cidades e, a partir do dia 27, chega também a Sorocaba, na sala Cinépolis, no shopping Iguatemi Esplanada. A estreia do projeto ainda vem com mais surpresas: a sessão será gratuita para mães com bebês de até 18 meses e acontecerá mensalmente, sempre às quintas-feiras. Até o momento, não há o nome do filme da primeira sessão, mas, de acordo com Irene, as interessadas já podem se cadastrar no site do projeto: www.cinematerna.org.br, para participar da enquete para a escolha do título.

Não é por acaso que o projeto chega a Sorocaba. Como explica Irene, muitas mães com bebês já haviam pedido o CineMaterna na cidade, e o shopping Iguatemi Esplanada interessou-se pela iniciativa, patrocinando a instalação em Sorocaba. "Com a meta de promover o resgate social das mães e fortalecer seu vínculo com seus bebês, além de incentivar a troca de experiência entre essas mulheres, um grupo de mães se uniu em 2008 e criou o CineMaterna. Desde então, a empresa social sem fins lucrativos organiza sessões especiais de cinema para mães com bebês de até 18 meses. O programa já está presente em 32 cidades do país, em 14 estados, e conta com 60 salas de cinema e 60 sessões mensais, além de mais de 200 mães colaboradoras", reforça Irene, que deu o pontapé ao projeto por conta de sua própria realidade. Com filhos pequenos, sentia saudades de assistir aos filme em uma sala tradicional de cinema.

Um dia, em uma discussão em um grupo de mães, levantou a questão. Resolveu enfrentar os percalços e encarar uma sala de projeção. O ano era 2008. Mais do que isso, começou a incentivar a prática e chegou a ir até Nova Iorque, onde ações com sessões para mães e bebês aconteciam, para entender todo esse funcionamento.

O resultado é que, no mesmo ano, criou o CineMaterna, responsável em pensar, projetar e repassar aos cinemas como seria essa sessão exclusiva para mamães, como ventilação e som controlados, iluminação, trocadores, tapetes e todo a liberdade para pais e acompanhantes atenderem aos pequenos, enquanto tentam assistir a um filme.

Após as sessões, acontecem bate-papos para fortalecer algumas diretrizes do projeto como: resgate social da puérpera (mãe de um recém-nascido) através da cultura; incentivar a troca de experiências entre mulheres sobre as diversas questões da maternidade, sempre com o intuito de difundir a cultura; e promoção da segurança alimentar e nutricional, reforçam no site.


OCULTAR COMENTÁRIOS
comments powered by Disqus