SOROCABA E REGIÃO

ALL traz para Sorocaba 23 vagões de Iperó


 
Daniela Jacinto
daniela.jacinto@jcruzeiro.com.br
 
A América Latina Logística (ALL) retirou de Iperó, na segunda-feira, 23 vagões sucateados, de um total de 314 sob sua responsabilidade, e os trouxe para Sorocaba. Conforme a ALL, os vagões que foram removidos são passíveis de recuperação e estão na oficina mecânica da empresa. Os outros vagões permanecem em Iperó e estão sendo desmontados e retirados da linha férrea pela Prefeitura daquele município, mediante autorização judicial. Também na segunda-feira, técnicos da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) fizeram uma vistoria na área da antiga Estação Ferroviária Santo Antonio, em Iperó, e confirmaram a contaminação do solo no local onde estão mantidos os vagões da ALL há cerca de 20 anos.
Conforme a Cetesb, foi emitido um auto de advertência à ALL onde constam as seguintes exigências: cinco dias para a remoção dos resíduos, com a devida aprovação da Cetesb - isto é, a ALL têm que solicitar e obter da agência ambiental o Certificado de Movimentação de Resíduos de Interesse Ambiental (Cadri) -, e 60 dias para apresentar estudo ambiental (passivo) da área.
No momento da inspeção, ainda de acordo com a Cetesb, foi verificada a presença de resíduos sólidos depositados no solo ao ar livre. Entre os vagões-tanque estacionados, um deles continha um pequeno volume de borra; dois, com reduzido volume de material pastoso; e um vagão semiaberto, com residual de soda cáustica. Constatou-se ainda a existência de alguns vagões do tipo contêiner e silos para transporte de material a granel, com residual das matérias que eram transportadas.
A contaminação de solo verificada, de acordo com a assessoria de imprensa da Cetesb, não causa diretamente riscos à saúde da população, porém é necessário analisar a concentração de poluentes no solo. Essa análise deverá ser feita pela ALL conforme a exigência da Cetesb. O estudo do passivo ambiental deve apontar os tipos de poluentes e suas respectivas concentrações no solo.
Conforme a Prefeitura de Iperó, desde a remoção dos 23 vagões que foram trazidos para Sorocaba, até ontem a ALL não havia retirado mais nenhum vagão.
A ALL, concessionária que administra a linha férrea, não tem respondido a todas as questões encaminhadas e tem se limitado a informar apenas sobre o caso de Iperó. A ALL não menciona sobre uma decisão da Justiça, que autorizaria a remoção de vagões em outros locais do Estado de São Paulo. A concessionária apenas informa que "iniciou a retirada dos vagões operacionais garageados no pátio de Iperó após autorização judicial" e dará continuidade ao planejamento de remoção dos ativos arrendados de sua responsabilidade, seguindo um cronograma definido pelo Centro de Controle de Operação (CCO), em Curitiba. A definição da destinação dos vagões também seguirá este cronograma, informa, porém não divulgou à imprensa qual é.
Sete anos
A Prefeitura de Iperó iniciou no dia 4 de setembro a desmontagem dos 314 vagões sucateados abandonados no pátio da estação ferroviária local. Além desses vagões da ALL, há outros 12, nove deles da Ferrovia Centro Atlântico e três do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Todos os vagões estão deteriorados e são inservíveis, e ficam no pátio da estação ferroviária, que é aberto e está localizado entre a região central de Iperó e os bairros do Santo Antônio e Novo Horizonte.
Em estado de abandono, os vagões oferecem riscos à segurança da população, que utiliza o pátio como passagem do Centro para os bairros e vice-versa, uma vez que, naquelas condições e abertos, servem de local de encontro e esconderijo de criminosos. Outro problema é que eles proporcionam o surgimento e a proliferação de animais nocivos à saúde. Na questão ambiental, além de poluir o visual da área, estão ocorrendo vazamentos de produtos químicos em alguns deles.
Conforme o prefeito de Iperó, Vanderlei Polizeli (PSDB), há sete anos a cidade tenta fazer com que a ALL encampe a retirada dos vagões, sem sucesso, mas agora com o despacho da juíza Liliana Regina de Araújo Heidorn Abdala, da 1ª Vara, a Prefeitura foi autorizada a remover.
 


OCULTAR COMENTÁRIOS
comments powered by Disqus