SOROCABA E REGIÃO

Prefeitura aciona MP contra os vagões da ALL


A Prefeitura de Iperó ingressou ontem com uma ação no Ministério Público da Comarca de Boituva, para que seja aberto inquérito para investigar se há crime ambiental, em função do abandono dos vagões "sucateados" da empresa América Latina Logística (ALL), no pátio da estação ferroviária local. Segundo o prefeito Vanderlei Polizeli, a Prefeitura recebeu, anteontem, um relatório onde a empresa contratada relata que a área foi classificada como potencialmente contaminada.

Ontem, Polizeli entregou ofício à Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb), em Sorocaba, solicitando a elaboração de um laudo de impacto ambiental para que o órgão tome as medidas cabíveis e indique as medidas corretivas.A notícia foi distribuída no fim da tarde de ontem pela Prefeitura de Iperó. No ínício da noite, a ALL, que tem sede em Curitiba (PR), informou que se pronuncia hoje sobre as informações divulgadas pelo prefeito de Iperó.

Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura, as medidas adotadas ontem pelo prefeito dão continuidade ao trabalho que ele vem empreendendo para resolver o problema dos vagões abandonados na estação ferroviária. Os vagões estão no pátio da estação há cerca de vinte anos e há sete anos a Prefeitura vem tentando fazer com que sejam retirados do local, sem sucesso. ""Fizemos vários contatos, mas não obtivemos retorno positivo, daí entramos com ações na Justiça, que determinou à empresa que removesse os vagões, sob pena de multa se não o fizesse. Mesmo assim, nada foi feito, o que nos motivou a entrar com pedido de liminar para que a própria Prefeitura realizasse esse trabalho, o que conseguimos no último dia 4"", disse o prefeito.

Polizeli reforçou que, nas condições em que estavam os vagões, abandonados e se deteriorando, havia riscos à segurança da população, principalmente dos bairros Santo Antonio e Novo Horizonte, que usam o local como acesso ao centro e vice-versa, além de ficar muito próximo ao centro. Além disso, explica o prefeito, havia indícios de que estaria ocorrendo contaminação do solo, o que ensejou que o cidadão Luiz Lopes da Silva Filho entrasse com uma ação popular contra a empresa. Ontem, a Prefeitura encaminhou cópia do relatório à Justiça, a quem solicitou que seja incluída no pólo ativo dessa ação.

Segundo Polizeli, a juíza Liliana Regina de Araújo Heidorn Abdala, da 1ª Vara de Boituva, também concedeu liminar, na ação popular, para que a Cetesb seja oficiada para realizar imediatamente uma avaliação técnica no local. O prefeito informou que, além de oficiar à Cetesb, a juíza determinou que a ALL deixe de depositar ""quaisquer novos dejetos de sucata, detritos, vagões imprestáveis, material inservível e qualquer outro ativo ferroviário dentro dos limites territoriais"" de Iperó, sob pena de multa diária de R$ 30 mil até o limite de R$ 10 milhões. (Carlos Araújo)


OCULTAR COMENTÁRIOS
comments powered by Disqus