CULTURA

Livro aborda a evolução histórica da ciência eletrônica no século 20

Maira Fernandes
maira.fernandes@jcruzeiro.com.br

É do sorocabano Carlos Alberto Fazano, uma produção pioneira no Brasil: um livro que aborda a evolução histórica da ciência eletrônica nos 100 anos do século 20. Lançada no fim de 2011, a obra "A Idade do Elétron - 100 Anos de Progresso na Eletrônica", com cerca de 400 páginas, conta, de forma clara, didática e com muitas imagens de ilustração, a história da radiodifusão. "A ideia é usar o livro como elemento didático. A história da radiodifusão é muito rica", explica o químico industrial que, desde pequeno, é apaixonado por eletrônica.
O conteúdo do livro reúne pesquisas de aproximadamente 15 anos. Os textos foram divulgados no jornal "A eletrônica em foco", da capital, onde atualmente reside.
De acordo com Fazano, seu conhecimento foi adquirido a partir de muita pesquisa. Também é um autodidata em eletrônica e monta rádios e amplificadores, além de possuir o que chama de "pequeno" acervo particular, com mais de 100 peças de colecionador.
"Tudo começou em Sorocaba, há uns 45 anos, quando tive contato com pessoas responsáveis pela radiodifusão", fala ele, lembrando da importância da cidade na história da radiodifusão no País. E como em um livro apenas ficou impossível condensar toda a evolução da eletrônica, ele já prepara um segundo, que deverá ser um complemento do primeiro. "É sobre a evolução da radiodifusão no Brasil, onde eu foco Sorocaba", revela e acrescenta: "Sorocaba foi muito importante, alavancou a radiodifusão pois os transmissores eram feitos aqui. Houve até tentativa de transmissão de radiodifusão, mas parece que as pessoas foram presas por isso", conta ele, que teve como guru o sorocabano Victor Carone e o meteorologista paulista Rubens Villela.

História

A intenção com o livro é disponibilizar toda a história da eletrônica, desde os primórdios. "Toda a evolução que culminou no aparelho de fax, nas TVs de tela plana, nos supercomputadores", esclarece. Também há um capítulo dedicado exclusivamente a contar a história da utilização da eletrônica nas guerras.
"Ainda há poucas informações técnicas sobre a radiodifusão no Brasil. O que se fala muito é nas radionovelas, nos programas, mas sobre a parte eletrônica não", garante. Tanto que para essa segunda obra, o que não faltarão são peculiaridades da radiodifusão no Brasil, como a invenção da tabela para os ouvintes acompanharem as partidas de futebol narradas pelo rádio.
De acordo com Fazano, como era difícil os ouvintes visualizarem onde estava a bola, a Rádio Club do Brasil passou a utilizar e distribuir ao público uma tabela com o desenho de campo de futebol, repartido em quadras. "Quando a bola estava no quadrante 6 da tabela, o locutor falava e o ouvinte com a tabela na mão, sabia a posição da bola. Isso só aconteceu no Brasil", explica.
O livro, que custa R$ 45,90, pode ser solicitado através do email jornal@aeletronicaemfoco.com.br. Informações sobre o autor e obra no portal: www.fazano.pro.br


OCULTAR COMENTÁRIOS
comments powered by Disqus