INFORMAÇÃO LIVRE
Publicidade (passe o mouse para ouvir)


Não vai ter greve



Por Marcelo Andrade
marcelo.andrade@jcruzeiro.com.br

 

Na Câmara Municipal ficou decidido que não haverá greve geral. Ao menos essa é a determinação do presidente Rodrigo Manga (DEM), que disse respeitar o movimento, mas não quer tornar o Legislativo parte dele. Diferentemente do que fez a Prefeitura, a Câmara não deverá cortar o ponto dos servidores de carreira que, por ventura, optarem por não ir ao trabalho, se comprometendo e "analisar caso a caso". 


Mas...

Entre os vereadores de oposição, porém, a ideia é outra. Petistas como Francisco França e Iara Bernardi não irão abrir seus gabinetes nesta sexta-feira. França e Renan Santos (PCdoB) chegaram a sugerir à presidência a adesão à greve, porém, a recomendação não foi acatada. O petista alertou que irá cobrar caso o Legislativo mobilize sua estrutura para buscar servidores em casa para levá-los ao serviço diante da paralisação total do transporte público.

Pente-fino

Depois da abertura de investigações -- que resultou inclusive na exoneração de dois servidores -- sobre o uso de diplomas falsos por servidores comissionados na Prefeitura, a Câmara resolveu passar um "pente-fino" para apurar se a situação também poderia estar ocorrendo no Legislativo. A apuração, porém, não teria apontado nenhuma irregularidade.

Demandas da Câmara nos bairros

O presidente da Câmara, Rodrigo Manga (DEM), tem uma reunião marcada hoje com o prefeito José Crespo (DEM) para apresentar um relatório do programa Câmara de Bairro em Bairro, que teve sua primeira edição realizada no mês passado. O documento leva nada menos que 134 demandas listadas pelos munícipes da zona norte da cidade, em especial de moradores do Parque São Bento. Manga convidou os vereadores que assinaram o relatório a comparecer à reunião. Resta saber quem de fato irá.

Deputados da região aprovam a reforma

Os quatro deputados federais eleitos pela região -- Vitor Lippi (PSDB), Herculano Passos e Jefferson Campos (ambos do PSD) e Missionário José Olímpio (DEM) -- votaram favoráveis ao projeto que trata da reforma trabalhista, aprovado na sessão da Câmara Federal, na última quarta-feira.

Na Câmara de Sorocaba, o clima entre os vereadores Francisco França (PT) e Pastor Apolo (PSB) esquentou ontem, quando o petista criticou os deputados da região pelo voto a favor da reforma. Citando Jefferson Campos, ele chegou a dizer que o posicionamento dele iria contra orientações religiosas e fiéis. Em seguida, Apolo, que é da mesma denominação religiosa do deputado, saiu em defesa de Campos, argumentando que a igreja tinha orgulho do parlamentar e não sustentava contrariedade à reforma. Defendendo seus argumentos, eles permaneceram alguns minutos discutindo sempre em tom elevado.

(Colaborou César Santana)

 

 

A escolhida



Por Marcelo Andrade
marcelo.andrade@jcruzeiro.com.br

O prefeito de Sorocaba, José Crespo (DEM), afirmou em entrevista à Cruzeiro FM 92,3, na ultima terça-feira, que já teria definido o nome da pessoa para o cargo de assessor especial em Brasília, cargo que depende de aprovação dos vereadores. Segundo ele, seria uma mulher chamada Fernanda Mariano, que é moradora da Capital Federal. "Consultei amigos deputados em Brasília para que nos indicassem uma pessoa que conhecesse o ambiente político em Brasília. Essa Fernanda Mariano eu nem conhecia. Agora, eu já estive lá e a conheci. Vi o currículo dela. Ela já trabalhou em vários ministérios. Ela é uma pessoa moça, deve ter entre 30 e 35 anos... Já conhece a tramitação burocrática, ou melhor ainda para nós, tem amizades nas rodinhas sociais", disse Crespo.

Mudou o discurso

O prefeito chegou a dizer, ainda na entrevista, que Fernanda trabalharia em sua casa, usando seu próprio carro e computador. Ontem, a coluna questionou o prefeito, por meio da Secretaria de Comunicação e Eventos (Secom), sobre qual era o nome completo de Fernanda Mariano e quais os ministérios em que ela teria atuado, em quais períodos em cada um deles. A coluna questionou ainda quais deputados amigos do prefeito que teriam feito tal indicação e que divulgasse o currículo ao qual teve acesso. Em nota, a Secom mudou o discurso adotado no dia anterior por Crespo e limitou-se: "Não há pessoa escolhida ainda. O prefeito se referiu a um dos nomes possíveis durante a entrevista. A escolha só ocorrerá após a criação do cargo."

Pediu para sair

A ex-corregedora-geral de Sorocaba durante o governo do ex-prefeito Antonio Carlos Pannunzio (PSDB), Adriana de Oliveira Rosa, pediu exoneração da função de procuradora-geral do município. O motivo não foi informado. Ela já havia deixado o cargo de corregedora-geral para que o advogado Gustavo Barata o assumisse na administração de José Crespo (DEM),


Nepotismo?

O Ministério Público do Estado (MP-SP) já prepara ação civil por nepotismo e improbidade administrativa contra a Prefeitura pela nomeação de Sylvia Pauletti Roquette Campanati, esposa do secretário de Habitação e Regularização Fundiária, Maurício Campanati. Na semana passada ela assumiu função, em comissão, de chefe de Divisão de Acompanhamento Processual, com salário de R$ 7,2 mil. Até então ela, que é concursada, era auxiliar administrativo. Campanati disse não ver nepotismo e que a nomeação foi por merecimento.


Econômicos

O gasto dos 20 vereadores da Câmara de Sorocaba com gabinetes apresentou uma redução de 34% no primeiro trimestre deste ano se comparado com o mesmo período de 2016. Foi o menor valor para o período desde 2010. Entre janeiro e março deste ano os gastos com material de escritório, selos, combustíveis e xerox somaram quase R$ 60 mil, enquanto que no mesmo período de 2016 o valor chegou a R$ 89 mil.


Fiesp decide tomar posição contra a cobrança da contribuição sindical




Por Marcelo Andrade
marcelo.andrade@jcruzeiro.com.br


A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) fechou questão contra a cobrança da contribuição sindical, também chamada de imposto sindical. Em nota divulgada ontem, assinada por seu presidente, Paulo Skaf (foto), a entidade informa que "em uma reunião histórica" resolveu apoiar o fim da contribuição. "A Diretoria e os presidentes e delegados de sindicatos que compõem a Fiesp aprovaram por unanimidade que as entidades abram mão dessa receita em nome da crença em um país mais eficiente e moderno." Para a Fiesp, é uma questão de coerência ser contra o imposto, já que o momento pede "a construção de instituições e relações mais modernas".


Mais uma

A cidade de São Roque é mais uma da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS) a aprovar o reajuste salarial para os servidores públicos municipais em 2017. A reposição de 6,29%, a ser paga em três parcelas (a primeira retroativamente a abril, a segunda a partir de julho e a última a partir de novembro) foi aprovada por unanimidade na Câmara Municipal na última segunda-feira (24). Na semana passada, Votorantim aprovou 6,5% de reposição para o funcionalismo. No fim de março, a Prefeitura de Mairinque concedeu 5,88% de reajuste à categoria.

Retorno

Depois de 15 dias fora do Legislativo, o vereador JP Miranda (PSDB) retornou à Câmara esta semana, na vaga de Anselmo Neto, e participou ontem da sessão ordinária. Mas não escapou das brincadeiras de outros vereadores. Alguns ironizaram a situação, dizendo que JP permaneceu um tempo "de castigo" e agora retorna, mas ainda sob vigilância do prefeito José Crespo (DEM). As expectativas se voltam para a próxima semana, quando deverá acontecer novamente a votação do projeto de lei que cria um cargo de assessor em Brasília. JP foi um dos que votaram contra o texto no primeiro turno.

Greve geral?

A greve geral que promete paralisar diversos setores de atividades na próxima sexta-feira (28) tem deixados servidores públicos de Sorocaba em dúvida quanto à manutenção dos serviços. Na Câmara, por exemplo, ainda não existe uma definição, e os funcionários têm procurado saber se haverá expediente nesse dia. Entre os vereadores, há críticos e apoiadores da causa. Os críticos entendem que os servidores devem trabalhar, pois de outra forma estariam ajudando a engrossar o protesto contra as ditas reformas do presidente Temer.

Bola cantada

A requisição da Santa Casa já vinha sendo articulada pelo prefeito José Crespo há mais de um mês. No dia 2 de abril, a direção da unidade hospitalar chegou a procurar o Ministério Público para relatar a intenção do chefe do Executivo, tendo exposto seus temores ao promotor Orlando Bastos Filho. Crespo não esconde que pretende transformar a Santa Casa em hospital municipal. Este é um projeto de campanha, como muitos outros. Por enquanto, porém, não se fala nessa hipótese. A versão corrente é de que a requisição não deverá durar mais do que um ano.

(Colaborou César Santana)

Criação de assessor externo volta à pauta semana que vem




Por Marcelo Andrade
marcelo.andrade@jcruzeiro.com.br

Temendo falta de quórum e consequentemente uma nova derrota, o prefeito José Crespo (DEM) solicitou ao colega de partido e presidente do Legislativo, Rodrigo Manga, para que coloque em pauta só na semana que vem o projeto que cria o cargo de assessor externo em Brasília. Isso porque, entre amanhã e quinta-feira, parte dos vereadores que integram a base aliada deverão participar do 61º Encontro Estadual de Municípios, em Campos do Jordão. A informação foi confirmada pelo secretário de Relações Institucionais e Metropolitanas, Anselmo Neto.
 
Tudo certo
De acordo com o apurado, Crespo está convicto de que a Câmara aprovará a criação do cargo de assessor externo com 16 dos 20 votos, excetuando-se apenas a oposição. O prefeito quer se reunir ainda esta semana com os vereadores da base aliada para pedir pessoalmente apoio à aprovação do projeto e, de quebra, certificar-se que o realinhamento feito por Anselmo Neto (PSDB) e seu líder na Câmara, o vereador Fernando Dini (PMDB), foi alcançado. Segundo uma fonte ligada ao primeiro escalão, Crespo não estaria preocupado com eventual desgaste perante a opinião pública.


E agora?
O maior mistério é como votará JP Miranda, do PSDB. No mês passado, na primeira votação, ele votou contra o cargo de assessor especial em Brasília. Mas o secretário de Relações Institucionais e Metropolitanas, Anselmo Neto, deixou a Prefeitura e voltou ao Legislativo, empurrando JP de volta à suplência. Com o retorno de Anselmo Neto ao secretariado, ontem, JP foi novamente empossado no cargo de vereador. Inimigos políticos apostam que ele, desta vez, votará favoravelmente ao projeto de Crespo. A quem pergunta, JP diz que "ainda não decidiu" como votará. 
 
Parlamento Regional
A Câmara Municipal de Sorocaba sediou ontem o 1º Encontro de Câmaras Municipais da Região Metropolitana de Sorocaba, cuja proposta é integrar os Legislativos para debater os problemas comuns dos 27 municípios da região. O encontro reuniu representantes de 19 municípios. Do evento, os participantes pretendem criar um Parlamento Regional, com diretrizes e até mesmo estatuto.

Psol entra com representação no Ministério Público




Marcelo Andrade
marcelo.andrade@jcruzeiro.com.br
 
O Psol de Votorantim entrou com uma representação, na última sexta-feira, contra a Prefeitura local, que pretende alterar a destinação das Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) em Unidades Básicas de Saúde (UBSs) no município. O prefeito Fernando Oliveira, anunciou nas últimas semanas que devido às condições financeiras da administração, não haveria condições de colocar em funcionamento os dois prédios e que devolveria R$ 4 milhões para o governo federal, na intenção de modificar o objeto do projeto original. Segundo o presidente do partido local, Rodrigo Chizolini, a proposta da Prefeitura "é prejudicial ao interesse público". A Prefeitura informou que não irá comentar o assunto enquanto não houver uma decisão do MP sobre a representação.
 
Da base, mas nem tanto
 
O presidente da Câmara de Sorocaba, Rodrigo Manga, apesar de fazer parte do mesmo partido do prefeito José Crespo, que também é presidente do DEM local, tem dado demonstrações de independência de suas ações e não poupa críticas e cobranças à atual administração. A última foi em relação a problemas envolvendo vagas remanescentes do sorteio para casas no residencial Altos do Ipanema. Chegou a pedir explicações à Prefeitura, por meio de requerimento, além de críticas na sessão de quinta-feira. Antes disso, havia apresentado na semana passa requerimento para convocação do secretário da Saúde, Rodrigo Moreno, para depor sobre a questão das filas em atendimentos na rede. Tal atitude imprevisível tem incomodado integrantes do primeiro e segundo escalão.
 
Mais comissionados
 
Onze novas portarias foram assinadas pelo secretário de Recursos Humanos de Sorocaba, Marinho Marte, em que nomeiam servidores para o preenchimento de cargos comissionados dentro dos quadros da administração municipal. São para as funções sem concurso público de assessor nível 3, com salário mensal de R$ 8,9 mil; assessor especial, com remuneração de R$ 11 mil ao mês, e chefe de seção, com salário de R$ 7,2 mil.