CARTAS
Publicidade (passe o mouse para ouvir)


Virada Cultural




Virada Cultural Paulista, que maravilha! Pessoas preocupadas com a nossa Cultura e fazer para o povo. Com uma programação bastante diversificada que agrada a todo tipo de público.

Tudo transcorria bem até o encerramento que ficou por conta de dois shows no final da tarde no SESI. Foi o que podemos de chamar circo de horror. Foram programados para este dois shows a Cantora Angela Maria e o conjunto Demônios da Garoa. Não é novidade para ninguém que o público destes dois show são em sua maioria de pessoas a cima de 50 anos. Foi uma grande surpresa para todos que chegaram uma hora antes do início de cada show para pegar o ingresso vieram saber, que não havia lugar dentro de teatro se quisesse poderia assistir em um telão fora onde havia cadeiras e tenda. Em Virada Cultural não existe troca de público segundo os organizadores quem chega para o primeiro pode ficar até o último. Ninguém se conformou, lógico, assistir no telão não era o que se estava esperando. Os responsáveis do SESI foram incansáveis em tentar amenizar o problema colocando até cadeiras onde não se permitia a segurança para amenizar a tristeza de muitos idosos. Era triste de ver até choro de idosos que não podiam entrar e foram embora. Pena que o secretário de Cultura não esta lá para ver. E se estava não foi visto.

MARY DANTAS AGOSTINELLI

Resposta: Em atenção ao posicionamento da senhora Mary Dantas Agostinelli, a Secretaria da Cultura e Turismo entende que não houve "falha na organização". Todos os eventos da Virada Cultural Paulista 2017 ocorreram sem sobressaltos. Com relação especificamente ao show de Ângela Maria e Demônios da Garoa, realizado no domingo (4), no Teatro do Sesi, o público foi avisado durante a divulgação que a entrada seria por ordem de chegada, como acontece em todo espetáculo gratuito. No sábado (3) à noite, cerca de 5 mil pessoas assistiram aos shows no Parque das Águas. No domingo, aproximadamente 300 pessoas acompanharam os dois espetáculos no interior do Teatro do Sesi e mais de 200 assistiram pelo telão externo. Não houve nenhuma ocorrência registrada durante os eventos.

Prevendo a grande procura do público, a Secult providenciou o telão e cadeiras do lado externo do teatro do Sesi para que mais pessoas pudessem acompanhar os shows. A estrutura dos shows foi adequada e cuidadosamente pensada para que não houvesse qualquer risco à segurança do público. A alta procura pelos espetáculos só comprova o prestígio do evento.

PREFEITURA DE SOROCABA

Precatório




No ano de 2002 coloquei um processo nas mãos do escritório Foz Sociedade de Advogados, de São Paulo. Era para receber o dinheiro relativo ao gatilho salarial que o governo devia e depois tornou-se precatório.

Pasmem os senhores, após 14 anos, após o dinheiro já ter sido liberado pelo governo, não consigo receber, pois os advogados alegam que agora quem tem de liberar para sacar o dinheiro é o juiz.

Tenho em meu poder uma carta de uma das advogadas do aludido escritório com data de 10/05/2010 dizendo que o total bruto do dinheiro estava em R$ 20.080,00 e que primeiro iriam tirar a comissão deles, depois o imposto de renda e o que sobrasse depositariam na minha conta corrente na agência do Banco do Brasil, aqui em Votorantim.

Porém este ano completo 79 anos, tenho 6 problemas de saúde, gasto bastante em medicamentos, não tenho convênio médico e fico a tentar descobrir: onde está o meu dinheiro?

Peço-lhes encarecidamente que me ajudem pois já gastei um absurdo de interurbano para São Paulo, só que os advogados nem mandam carta, nem telefonam para informar como está o processo.

AUREA LARAYA PEDROSO

Resposta: Não houve resposta da Foz Sociedade de Advogados


Ligação de água

Nesta data (08.02), foi publicada minha carta sobre a abertura de valas para ligação de água no Residencial Saint Patrick. Sem querer polemizar o assunto, no entanto, é preciso esclarecer que a associação de moradores do residencial alega que desconhece qualquer responsabilidade atribuída a ela ou aos moradores na execução das obras para ligação de água. Porém, como a ligação de água foi feita junto com a ligação de energia (uma sobreposta a outra), foi denunciado o fato ao Ministério Público, que por sua vez encaminhou o caso à Subdelegacia do Trabalho, pois há risco de vida para quem executa o serviço, se a energia não for desligada. Em 8 de março de 2016, foi lavrada ata de reunião entre o Saae, a CPFL, Guarda Empreendimentos e a Associação de Moradores, representada pela diretora financeira, ficando a associação responsável por proceder a abertura das valas para execução das ligações de água. Assim, a referida associação não pode alegar que desconhece suas responsabilidades.

BRUNO FAGUNDES

Resposta: "Após reunião com os envolvidos CPFL, Saae, e Empreendedor a Associação assumiu a responsabilidade na gestão para consecução dos serviços que serão executados pelas empresas / autarquias, dentro de suas respectivas responsabilidades.
Atenciosamente,

CLAUDIA XAVIER NEVES
GERENTE ADMINISTRATIVO
RESIDENCIAL SAINT PATRICK

Do Leitor




CICLOFAIXA PAES DE LINHARES
Gostaria de deixar minha indignação contra a gestão Crespo e sua decisão equivocada em remover a ciclofaixa da Paes de Linhares.
Poderiam iniciar o trabalho de revisão com a transferência das ciclovias das calçadas para os canteiros, elas foram malfeitas em Sorocaba, seria benéfico para todos, mas o novo prefeito deixou evidente que deseja suprimir a nova cultura em ascensão para uso da bicicleta sem antes oferecer uma alternativa.
Ciclofaixas são bastante comuns no mundo todo, única que temos não foi criada à toa nessa rua, ela tem um propósito muito maior: realizar a integração entre a Marginal e as avenidas Itavuvu e Ipanema e favorecer o uso da bike em todo o sistema. A alternativa dada em utilizar a J.J.Lacerda é risível, uma vez que o caminho é muito mais extenso e montanhoso, ainda sem a integração atual, tudo isso em prol do caminho mais curto para o carro?
A justificativa dada pela Urbes de que “rua é lugar de carros” mostra o perigo do regresso dos avanços que já obtivemos no aumento do uso da bicicleta nos últimos anos. A ciclofaixa é bem sinalizada e está prevista no CTB. Antes de sua implantação, a Paes tinha mão dupla, ou seja, naquela época já era impossível estacionar dos dois lados como tanto desejam.
A Urbes não apresentou qualquer estatística de uso ou de acidentes, tudo é baseado em escolhas pessoais. Mais que isso, ao invés de desincentivar o uso da via, a Urbes poderia criar programas de conscientização para orientar os ciclistas e, principalmente, motoristas e pedestres a seguirem as normas de trânsito ao invés de favorecer o “mais forte”.
Motoristas podem escolher ir por vias paralelas sem maior esforço ou estacionar nas dezenas de transversais com muita folga. O resultado dessa ação precipitada em favor do veículo automotor será bem sucedida em diminuir o número de acidentes com ciclistas por uma simples razão: menos pessoas farão uso da bicicleta.  DANIEL DELLA VIOLLA GROPPO
RESPOSTA: Caro leitor Daniel Della Violla Groppo, a principal razão para a retirada da ciclofaixa foi proporcionar mais segurança aos ciclistas. Nossos registros de acidentes apontam que, em 2016, quatro ciclistas ficaram feridos nesse local. A ideia do Governo Municipal é modernizar e ampliar a malha cicloviária mantendo cada modal de transporte em seu próprio espaço garantindo a necessária segurança, ou seja, que pedestres circulem pelas calçadas, ciclistas pelas ciclovias e veículos pelas pistas de rolamento. URBES TRÂNSITO E TRANSPORTES