Vou de carro


Começa o Salão de Detroit




Por Adalberto Vieira
 
Uma tradição de décadas está sendo quebrada na indústria automobilística. Durante muito tempo, o primeiro Salão do Automóvel do ano foi o de Detroit, cidade berço da indústria automobilística norte-americana. Mas de uns anos para cá, o Consumer Eletronic Show (CES) que terminou na última sexta-feira em Las Vegas, apresentou mais novidades tecnológicas para o setor automotivo que o tradicional autoshow de Michigan. É que novas tecnologias para carros autônomos, elétricos e híbridos tiveram grande destaque na CES, ofuscando em certo sentido o que está sendo apresentado no North American International Auto Show (NAIAS) em Detroit.
 
O Salão de Detroit foi aberto para a imprensa no último domingo e será aberto ao público de 20 a 28 de janeiro, devendo receber perto de 700 mil visitantes. O NAIAS reflete a indústria automobilística norte-americana e os destaques na edição deste ano, mais uma vez, serão as picapes e os utilitários esportivos, que vendem muito na terra do Tio Sam. As novidades mais esperadas pelo público local são a nova Silverado, picape da GM, a gigantesca RAM 1500, e os novos Ford Edge e Ranger, um modelo que estava fora de produção na América do Norte. Além do consumidor norte-americano adorar picapes e utilitários esportivos grandes, há outro fator para a indústria se dedicar com afinco a esses segmentos: a margem de lucros desses modelos são muito maiores do que dos carros convencionais.
 
 A Ford mostrou ainda uma nova versão do Mustang, a Bullit, uma releitura do carro que fez enorme sucesso no filme de Steve McQueen. As asiáticas Kia e Hyundai também levaram novidades para a feira. Ao todo serão cerca de 70 lançamentos.  Um dos modelos que poderá chegar ao Brasil é o Volkswagen Jetta reestilizado. O projeto original foi criação de designers brasileiros radicados na Alemanha.
 
O Salão ocorre em um momento delicado que tem deixado os executivos da indústria preocupados com possíveis mudanças no Tratado de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta), que reúne Estados Unidos, México e Canadá. Foi por meio desse tratado que as montadoras exportaram fábricas para os países vizinhos para conseguir melhorar a lucratividade por conta de incentivos recebidos e mão de obra mais barata. O presidente Trump, como se sabe, se opõe a esse tratado e gostaria de ver as fábricas voltando para o território norte-americano. Um pesadelo para o setor.
 





Ford EcoSport chega aos Estados Unidos




 
Por Adalberto Vieira
 
 
 
 
 
 
A Ford começou a vender o EcoSport nos Estados Unidos, introduzindo pela primeira vez naquele mercado o modelo criado no Brasil. A versão renovada do modelo estreou primeiro no Brasil antes de chegar à América do Norte, onde o segmento dos SUVs também está em alta.
Curiosamente o modelo disponível para o mercado norte-americano é fabricado na Índia e conta com quatro versões de acabamento – S, SE, Titanium e SES --, com motor turbo 1.0 EcoBoost de três cilindros ou 2.0 de quatro cilindros. Ambos são equipados com o mesmo câmbio automático de seis velocidades encontrado no modelo brasileiro e sistema start-stop para economia de combustível. Nos Estados Unidos a tração 4WD é de série na SES e opcional nas demais. Esse tipo de tração ainda não é oferecido para o mercado brasileiro.
Externamente, a diferença entre o modelo vendido nos EUA e no Brasil é a ausência do estepe externo montado na tampa traseira. O modelo também vem recheado de tecnologia, como controle eletrônico de estabilidade e tração Advance Trac, assistente de partida em rampa, central multimídia SYNC, oito airbags e duas entradas USB para carregamento de celulares. Vem ainda com câmera de ré, controle vetorial de torque, bússola e rodas de alumínio de 16 polegadas. Entre os opcionais específicos para a região há um pacote de inverno com direção e retrovisores aquecidos e sistema de degelo do para-brisa.
Desde seu lançamento o EcoSport já soma mais de um milhão de unidades produzidas no Brasil. A nova geração global é produzida em cinco fábricas e vendida em aproximadamente 150 países. (Com informações do fabricante)
 
 





Lançamentos em pílulas




 
 
Por Adalberto Vieira
 
 
Lançamentos em pílulas
 
 
Como já publicamos neste espaço, o ano de 2018 para o mercado automotivo brasileiro começa com o lançamento de sedãs compactos de fino trato: o Volkswagen Virtus e o Fiat Cronos. O primeiro já tem data para chegar: será lançado no dia 22 de janeiro, enquanto que o segundo será lançado provavelmente no início de fevereiro na Argentina, país onde será fabricado.
 
Seguindo uma técnica já conhecida do mercado, os dois lançamentos estão ocorrendo em pílulas, ou seja, mostra-se inicialmente uma foto com detalhes do carro, depois realiza-se um seminário sobre as novas tecnologias do modelo, depois novas fotos, e assim vai. A assessoria de imprensa da Ford aperfeiçoou a técnica e chegou a promover vários eventos pré-lançamento quando da reestilização do EcoSport e outros modelos. O VW Virtus já cumpriu praticamente todas as etapas e o carro já foi visto e fotografado pela imprensa. Alguns jornalistas já o dirigiram, inclusive, mas estão submetidos a um embargo para publicação. No dia do lançamento, finalmente será possível dirigir o modelo e conhecer os preços das várias versões. 
 
O Fiat Cronos avança pelo mesmo caminho. Fotos suas foram distribuídas pela montadora, permitiu-se que fosse fotografado circulando com adesivos em Belo Horizonte e mais recentemente foram divulgadas fotos de um evento na Argentina, onde o carro aparece por inteiro. O Fiat Cronos chega para substituir o Grand Siena, um sedã compacto com espaços generosos. O novo modelo chega com uma plataforma moderna, oferecendo mais conforto e novas tecnologias. O carro tem um desenho elegante e mede 4,4 m de comprimento com um generoso porta-malas de 520 litros. Terá duas motorizações, o moderno motor 1.3 l já utilizado no Argo e o antigo1.8 l E.Torq Evo, usado em outros modelos da marca. As versões com motor 1.3 l poderão usar câmbio manual ou automatizado de cinco marchas. O carro com motor 1.8 l terá câmbio automático com seis velocidades. Chegará carregado de tecnologias muito apreciadas pelos compradores dessa categoria de carros, o que inclui kit multimídia, sensor de estacionamento com visor gráfico, volante com comandos de rádio e telefone entre outras bossas. 
 
A disputa entre o Virtus e o Cronos será interessante num momento em que todos os olhos estão voltados para os SUVs.